Dias Ferreira garante 150 milhões para construir dez academias em África

Candidato à presidência diz ter "a experiência e a capacidade" para liderar o Sporting.

Na sua sede de campanha, situada em Lisboa, um dos sete candidatos às eleições do dia 8 de setembro usou os membros da sua equipa para falar das medidas que pretendem implementar caso sejam eleitos.

"Portugal é demasiado pequeno para nós e obtivemos uma linha de crédito de 150 milhões de euros para a construção de dez escolas de formação em dez países africanos", começou por revelar o responsável pela área das academias José Silva, frisando ainda que os atletas que não conseguirem singrar num patamar alto terão um "fundo de pensões".

Outro membro da lista de Dias Ferreira, que ficará com o departamento financeiro, debruçou-se em explicar como será reduzido o passivo atual e sublinhou que pretende adquirir 90% da SAD leonina.

"Há um plano de restruturação em curso, que foi iniciada pela anterior direção, e bem. Nós queremos concluir esse plano e, quando estiver concluído, o Sporting terá números bastante apetecíveis. O passivo será menos de metade do que o de hoje e teremos os VMOC [valores mobiliários obrigatoriamente convertíveis] comprados. O Sporting ficará dono de mais de 90% da SAD e vamos tentar comprar a totalidade das ações da SAD", explicou Ricardo Oliveira.

Na área do futebol estará Luís Natário, que destacou a aposta "sem medos e de uma vez por todas" em jogadores formados no clube.

"Queremos uma academia com todas as condições físicas e de ponta no domínio da tecnologia. Precisamos de lançar os atletas de uma vez por todas, não podemos ter medo. Não podemos gastar os nossos recursos quando temos cá dentro muito melhor e que já conhecem o nosso clube. Gastar dinheiro a contratar 20 ou 25 jogadores é um sinal de que a época passada falhou", lembrou.

Por fim, foi o candidato à presidência a dirigir-se à comunicação social para dizer que possui a "experiência e a capacidade" para reconduzir o Sporting ao êxito, sem esquecer os rivais FC Porto e Benfica.

"Os nossos rivais já estão com picardias como se nós não contássemos. Temos de estar atentos e fazer um trabalho muito sério. Tenho experiência e sinto-me com capacidade para liderar uma equipa. Não tenho nesta lista um amigo, tenho pessoas que são conhecidas pelo rigor", declarou.

De seguida, voltou-se para os dois candidatos mais jovens à presidência do Sporting, João Benedito e Frederico Varandas, ao defender que ainda reúnem as condições para assumir o cargo.

"Acho que é cedo [para Frederico Varandas e João Benedito], francamente. Não posso deixar que este Jumbo [avião] seja conduzido por um piloto que ainda esteja a tirar o brevet", justificou.

Concorrem à presidência do Sporting, além de Dias Ferreira, João Benedito e Frederico Varandas, outros quatro candidatos: José Maria Ricciardi, Pedro Madeira Rodrigues, Rui Jorge Rego e Fernando Tavares Pereira.

As eleições estão agendadas para 8 de setembro.

Ler mais

Exclusivos

Premium

João Gobern

País com poetas

Há muito para elogiar nos que, sem perspectivas de lucro imediato, de retorno garantido, de negócio fácil, sabem aproveitar - e reciclar - o património acumulado noutras eras. Ora, numa fase em que a Poesia se reergue, muitas vezes por vias "alternativas", de esquecimentos e atropelos, merece inteiro destaque a iniciativa da editora Valentim de Carvalho, que decidiu regressar, em edições "revistas e aumentadas", ao seu magnífico espólio de gravações de poetas. Originalmente, na colecção publicada entre 1959 e 1975, o desafio era grande - cabia aos autores a responsabilidade de dizerem as suas próprias criações, acabando por personalizá-las ainda mais, injectando sangue próprio às palavras que já antes tinham posto ao nosso dispor.