Dias Ferreira anuncia candidatura à presidência do Sporting

O advogado avança com o apoio de Paulo Futre, repetindo uma dupla que perdeu as eleições de 2011

Dias Ferreira anunciou esta sexta-feira, em entrevista à SIC Notícias, que é candidato às eleições do Sporting, marcadas para o dia 8 de setembro.

O advogado de 71 anos vai avançar com o apoio do ex-futebolista Paulo Futre, com quem se candidatou ao ato eleitoral de 2011, saindo derrotado com apenas 16,5% dos votos.

Esta é a quarta candidatura anunciada formalmente, depois de Frederico Varandas, Fernando Tavares Pereira e Pedro Madeira Rodrigues.

"Já tomei a decisão e, sem ter nada contra as outras candidaturas, e entendo que me devia voltar a candidatar", anunciou Dias Ferreira à SIC Notícias, onde deixou bem expressa a ideia de que não se revê nos outros candidatos. "O lema da minha candidatura é 'somos todos Sporting'", revelou.

Dias Ferreira explicou que a ideia de avançar para as eleições nasceu na final da Taça de Portugal, perdida para o Desp. Aves, que classificou como "um dos momentos mais angustiantes que vivi". "Tenho a imagem de pessoas com alguma idade e outros jovens, que não me conhecem enquanto dirigente, que me agarraram e disseram para ajudar a salvar o Sporting", justificou.

O advogado acrescentou que anunciou hoje a sua candidatura "após uma reflexão" e que só não comunicou antes devido ao facto de Paulo Futre, que será o seu diretor desportivo, estava a ajudar a Comissão de Gestão liderada por Sousa Cintra. "Achei que não devia fazer ruído enquanto Paulo Futre estava a ajudar o Sporting. O Paulo Futre está comigo e é uma pessoa indispensável para mim", frisou.

No que diz respeito ao treinador, Dias Ferreira garantiu que José Peseiro será o seu treinador, "como aliás seria qualquer outro que tivesse sido escolhido pela Comissão de Gestão". Sem se alongar muito sobre as suas ideias, o advogado deixou a certeza que tem "muito conhecimento sobre a situação financeira" do Sporting, mas escusou-se a tecer para já comentários por "é uma situação de algum melindre".

Dias Ferreira foi dirigente do Sporting pela primeira vez em 1980, quando integrou a direção liderada por João Rocha, acabando por sair em divergência com o presidente. No entanto, regressaria em 1984 também com Rocha, como vice-presidente, tendo sido depois chefe do departamento de futebol na gerência de Amado de Freitas em 1986.

Esteve depois muito tempo afastado do dirigismo leonino, regressando em 2009 como presidente da mesa da Assembleia Geral, numa altura em que José Eduardo Bettencourt foi eleito presidente do Conselho Diretivo.

Ler mais

Exclusivos

Premium

Nuno Artur Silva

Notícias da frente da guerra

Passaram cem anos do fim da Primeira Guerra Mundial. Foi a data do Armistício assinado entre os Aliados e o Império Alemão e do cessar-fogo na Frente Ocidental. As hostilidades continuaram ainda em outras regiões. Duas décadas depois, começava a Segunda Guerra Mundial, "um conflito militar global (...) Marcado por um número significativo de ataques contra civis, incluindo o Holocausto e a única vez em que armas nucleares foram utilizadas em combate, foi o conflito mais letal da história da humanidade, resultando entre 50 e mais de 70 milhões de mortes" (Wikipédia).

Premium

nuno camarneiro

Uma aldeia no centro da cidade

Os vizinhos conhecem-se pelos nomes, cultivam hortas e jardins comunitários, trocam móveis a que já não dão uso, organizam almoços, jogos de futebol e até magustos, como aconteceu no sábado passado. Não estou a descrever uma aldeia do Minho ou da Beira Baixa, tampouco uma comunidade hippie perdida na serra da Lousã, tudo isto acontece em plena Lisboa, numa rua com escadinhas que pertence ao Bairro dos Anjos.

Premium

Rui Pedro Tendinha

O João. Outra vez, o João Salaviza...

Foi neste fim de semana. Um fim de semana em que o cinema português foi notícia e ninguém reparou. Entre ex-presidentes de futebol a serem presos e desmentidos de fake news, parece que a vitória de Chuva É Cantoria na Aldeia dos Mortos, de Renée Nader Messora e João Salaviza, no Festival do Rio, e o anúncio da nomeação de Diamantino, de Daniel Schmidt e Gabriel Abrantes, nos European Film Awards, não deixou o espaço mediático curioso.