Di María salva o PSG da derrota em casa com o Nápoles

Os parisienses só venceram um dos últimos cinco jogos na Champions. Borussia Dortmund, com bis de Raphaël Guerreiro, aplicou a Diego Simeone a maior goleada como treinador do Atlético de Madrid

Está difícil a vida do Paris Saint-Germain na Liga dos Campeões. A equipa treinada pelo alemão Thomas Tuchel não foi além do empate caseiro, a duas bolas, com o Nápoles e bem se pode dar por satisfeita, pois salvou-se da derrota no último minuto graças a um excelente golo de Angel Di María.

Os parisienses só venceram um dos últimos cinco jogos que fizeram para a Liga dos Campeões, sendo que três deles já durante esta época, estando no quarto lugar do grupo C, com quatro pontos, menos dois que o Liverpool e menos um que os napolitanos.

O Nápoles adiantou-se no marcador aos 29 minutos, graças a um chapéu de Lorenzo Insigne ao guarda-redes Areola. Foi com os italianos em vantagem que se chegou ao intervalo. O PSG reagiu e chegou ao empate (61') ao beneficiar de um autogolo do português Mário Rui, ao tentar cortar um cruzamento de Meunier.

Mas a esperança francesa não durou muito, uma vez que o belga Mertens aproveitou um ressalto na área para recolocar os italianos em vantagem, que durou até ao terceiro dos cinco minutos de tempo extra concedidos pelo árbitro, altura em que Di María tirou da cartola um remate em arco que não deu hipóteses de defesa a David Ospina.

No outro jogo do grupo, o Liverpool não sentiu dificuldades em golear o Estrela Vermelha, em Anfield, por 4-0. Roberto Firmino abriu o marcador, apareceu depois Mohamed Salah que marcou por duas vezes (uma delas de penálti), um bis que fez estrela egípcia atingir os 50 golos em 65 jogos com a camisola do reds. Foi já depois de falhar um penálti que Sadio Mané se redimiu e marcou o quarto golo do Liverpool, que até podia ter construído uma goleada bem maior.

No grupo A, o Borussia Dortmund continua imparável, tendo alcançado o terceiro triunfo em outros tantos jogos, e desta vez a vítima foi o Atlético de Madrid e por números invulgares: 4-0. Foi a maior goleada sofrida por Diego Simeone no comando técnico dos colchoneros... e já vai na oitava época no clube.

O belga Axel Witsel abriu o marcador com um rematae de fora da área, tendo na segunda parte brilhado o português Raphaël Guerreiro, que entrou aos 63 minutos, no seu quinto jogo oficial da época, e pouco depois aumentou a vantagem com um desvio à ponta-de-lança na pequena área. Pelo meio o jovem inglês Jadon Sancho fez o terceiro golo, mas as contas seriam fechadas pelo internacional português, que aproveitou uma falha incrível da defesa do Atlético.

O Dortmund lidera com nove pontos e está a um pequeno passo de garantir a qualificação para os oitavos-de-final, pois tem mais três que os colchoneros e mais oito que Club Brugge e Mónaco que jogaram na Bélgica e empataram 1-1.

Finalmente no grupo B, é o Tottenham que está em maus lençois, sobretudo depois do empate 2-2 na Holanda com o PSV Eindhoven. Estas duas equipas somaram os primeiros pontos, num jogo emocionante em que a equipa da casa se colocou em vantagem pelo mexicano Hirving Lozano, mas ainda antes do intervalo viu os Spurs chegarem ao empate por Lucas Moura.

No segundo tempo, Harry Kane parecia encaminhar o Tottenham para o triunfo quando aos 55 minutos fez o seu golo da ordem (o 11.º em 13 jogos que realizou na Champions). Só que a dez minutos do final, Hugo Lloris foi expulso por derrubar, fora da área, Lozano que seguia isolado... as coisas complicaram-se para os londrinos que acabaram por sofrer o golo do empate pouco depois graças a um golo de Luuk de Jong.

Confortável na liderança esta o Barcelona, que está quase apurado, depois de ter recebido e vencido o Inter Milão por 2-0. O brasileiro Rafinha abriu o marcador ainda na primeira parte e foi já depois da entrada de Nélson Semedo (72') que Jordi Alba fechou as contas de um jogo que não contou com Lionel Messi em campo por estar a recuperar de uma lesão.

Resultados da 3.ª jornada da Champions:

GRUPO A
Club Brugge-Mónaco, 1-1
Borussia Dortmund-Atletico de Madrid, 4-0

GRUPO B
PSV Eindhoven-Tottenham, 2-2
Barcelona-Inter Milão, 2-0

GRUPO C
Liverpool-Estrela Vermelha, 4-0
Paris Saint Germain-Nápoles, 2-2

GRUPO D
Galatasaray-Schalke, 0-0
Lokomotiv Moscovo-FC Porto, 1-3

GRUPO E
AEK Athens-Bayern Munique, 0-2
Ajax-Benfica, 1-0

GRUPO F
Hoffenheim-Lyon, 3-3
Shakhtar Donetsk-Manchester City, 0-3

GRUPO G
Real Madrid-Viktoria Plzen, 2-1
AS Roma-CSKA Moscovo, 3-0

GRUPO H
Young Boys-Valência, 1-1
Manchester United-Juventus, 0-1

Confira as classificações da Liga dos Campeões

Ler mais

Exclusivos

Premium

Margarida Balseiro Lopes

Legalização do lobbying

No dia 7 de junho foi aprovada, na Assembleia da República, a legalização do lobbying. Esta regulamentação possibilitará a participação dos cidadãos e das empresas nos processos de formação das decisões públicas, algo fundamental num Estado de direito democrático. Além dos efeitos práticos que terá o controlo desta atividade, a aprovação desta lei traz uma mensagem muito importante para a sociedade: a de que também a classe política está empenhada em aumentar a transparência e em restaurar a confiança dos cidadãos no poder político.

Premium

Viriato Soromenho Marques

Erros de um sonhador

Não é um espetáculo bonito ver Vítor Constâncio contagiado pela amnésia que tem vitimado quase todos os responsáveis da banca portuguesa, chamados a prestar declarações no Parlamento. Contudo, parece-me injusto remeter aquele que foi governador do Banco de Portugal (BdP) nos anos críticos de 2000-2010 para o estatuto de cúmplice de Berardo e instrumento da maior teia de corrupção da história portuguesa, que a justiça tenta, arduamente, deslindar.