Depois de pedir "respeito", Mourinho diz que é "dos melhores do mundo"

Português voltou a defender o seu percurso profissional, frisando que já ganhou títulos em Espanha, Itália e Inglaterra, dizendo também que 2.º lugar do Manchester United na época passada é um dos "maiores feitos" da sua carreira. Citou ainda um filósofo alemão...

A conferência de imprensa de José Mourinho depois da derrota caseira do Manchester United frente ao Tottenham (0-3), que confirmou o pior arranque de época do português e a pior dos red devils desde 1992, ficou marcada pelo momento em que o treinador pediu "respeito" aos jornalistas, lembrando os seus três títulos da Premier League (todos ao serviço do Chelsea e divididos por duas passagens). Esta sexta-feira, Mou defendeu o seu currículo e afirmou ser um "dos melhores treinadores do mundo".

"Sou treinador de um dos maiores clubes do mundo, mas sou também um dos melhores treinadores do mundo", afirmou o special one, acrescentando, em declarações reproduzidas pela BBC, que o segundo lugar no campeonato inglês da época passada (City e Guardiola foram campeões) foi dos "maiores feitos" da sua carreira.

Questionado se continuaria a ser um treinador de topo se não ganhasse nenhuma Premier League com o Manchester United, o respondeu sem dúvidas: "claro". Citou ainda, dentro do mesmo assunto, o filósofo alemão Georg Hegel (viveu entre 1770 e 1831)l: "Alguma vez perderam tempo a ler o filósofo Hegel? Ele disse: 'A verdade está no todo. É sempre no todo que está a verdade'".

"Também perguntam estas coisas ao treinador que acabou em terceiro na Premier League? Ou ao treinador que acabou em quarto ou quinto?", questionou José Mourinho.

"Tive grande sucesso a época passada e é isso provavelmente que vocês não querem admitir. Há duas épocas tivemos uma época fantástica porque ganhámos a Liga Europa e ganhámos porque era do nosso nível. Fomos a última equipa em Inglaterra a ganhar uma competição europeia. Já ganhei oito títulos, sou o único treinador que ganhou em Itália, Espanha e Inglaterra. E não foram pequenos títulos, mas títulos decentes, e o segundo lugar da época passada foi um dos meus maiores feitos no futebol", disparou Mourinho, defendendo novamente a sua carreira e o trabalho aos comandos do Manchester United.

No próximo domingo, e com o seu lugar a ser questionado por muitos, apesar de não haver, até agora, grandes indicações oficiais de uma possível saída de Manchester, Mourinho tem, à quarta jornada da Premier League, um jogo de importância máxima no campo do Burnley.

Ler mais

Premium

João Almeida Moreira

Bolsonaro, curiosidade ou fúria

Perante um fenómeno que nos pareça ultrajante podemos ter uma de duas atitudes: ficar furiosos ou curiosos. Como a fúria é o menos produtivo dos sentimentos, optemos por experimentar curiosidade pela ascensão de Jair Bolsonaro, o candidato de extrema-direita do PSL em quem um em cada três eleitores brasileiros vota, segundo sondagem de segunda-feira do banco BTG Pactual e do Instituto FSB, apesar do seu passado (e presente) machista, xenófobo e homofóbico.

Premium

Rosália Amorim

"Sem emoção não há uma boa relação"

A frase calorosa é do primeiro-ministro António Costa, na visita oficial a Angola. Foi recebido com pompa e circunstância, por oito ministros e pelo governador do banco central e com honras de parada militar. Em África a simbologia desta grande receção foi marcante e é verdadeiramente importante. Angola demonstrou, para dentro e para fora, que Portugal continua a ser um parceiro importante. Ontem, o encontro previsto com João Lourenço foi igualmente simbólico e relevante para o futuro desta aliança estratégica.