Juventus revela que lesão de Cristiano Ronaldo não é grave

O avançado português sofreu uma lesão sem gravidade nos músculos da coxa direita, no jogo da seleção portuguesa frente à Sérvia, informou esta terça-feira a Juventus, campeã italiana.

De acordo com o clube transalpino, Cristiano Ronaldo fez exames ainda em Portugal, que detetaram uma lesão muscular sem gravidade na coxa direita. A Juventus diz que a evolução de Cristiano Ronaldo vai continuar a ser acompanhada e que vai ser feita nova avaliação para definir o regresso à competição.

De acordo com a imprensa italiana, Ronaldo deverá voltar à competição dentro de duas semanas, ou seja, a tempo do jogo dos quartos-de-final da Liga dos Campeões, frente ao Ajax, agendado para o dia 10 de abril.

O capitão da seleção portuguesa foi substituído aos 30 minutos da partida com a Sérvia (1-1), de qualificação para o Euro 2020, depois de se queixar da coxa quando tentava alcançar um passe de um companheiro de equipa. Na altura foi substituído por Pizzi.

No final do jogo, Ronaldo esclareceu logo que não se tratava de nada grave, descansado logo os adeptos da Juventus. "Há que esperar 48 horas, mas não estou preocupado. São coisas que acontecem, é assim o futebol. Quem anda à chuva molha-se. Mas sei que vou voltar bem dentro de uma ou duas semanas. Conheço bem o meu corpo", disse.

Veja aqui o momento em que Ronaldo se lesionou.

Ronaldo é atualmente o melhor marcador da Juventus, com 19 golos apontados no campeonato italiano e mais quatro na Liga dos Campeões (três deles foram na vitória sobre o At. Madrid, que permitiu à equipa de Turim apurar-se para os quartos-de-final da Champions). Foi também Ronaldo que marcou o golo que deu à Juventus a Supertaça italiana, na vitória por 1-0 sobre o AC Milan, em janeiro, num jogo realizado na Arábia Saudita.

Exclusivos

Premium

Maria Antónia de Almeida Santos

Uma opinião sustentável

De um ponto de vista global e a nível histórico, poucos conceitos têm sido tão úteis e operativos como o do desenvolvimento sustentável. Trouxe-nos a noção do sistémico, no sentido em que cimentou a ideia de que as ações, individuais ou em grupo, têm reflexo no conjunto de todos. Semeou também a consciência do "sustentável" como algo capaz de suprir as necessidades do presente sem comprometer o futuro do planeta. Na sequência, surgiu também o pressuposto de que a diversidade cultural é tão importante como a biodiversidade e, hoje, a pobreza no mundo, a inclusão, a demografia e a migração entram na ordem do dia da discussão mundial.