Conceição, Mourinho e Fonseca no fórum de treinadores de elite da UEFA

Os treinadores portugueses do FC Porto, Manchester United e Shakhtar Donetsk vão marcar presença no 20.º Fórum de Treinadores de Elite da UEFA, marcado para 4 de setembro.

Em Nyon, na Suíça, um total de 12 treinadores vão "trocar ideias e pontos de vista sobre os principais assuntos que concernem as competições europeias", bem como "discutir e apresentar propostas à UEFA para benefício geral do futebol europeu", pode ler-se em comunicado do organismo de cúpula do futebol europeu.

O espanhol Julen Lopetegui, atual treinador do Real Madrid e antigo técnico do FC Porto, é outro dos convidados, que incluem o francês Arsène Wenger, o único que não se encontra a trabalhar após sair do Arsenal.

Portugal é, a par de Espanha, o país mais representando na lista de convidados, que inclui os espanhóis Lopetegui, Rafael Benítez (Newcastle) e Unai Emery (Arsenal), os italianos Massimiliano Allegri (Juventus) e Carlo Ancelotti (Nápoles), os franceses Wenger e Rudi Garcia (Marselha), o turco Senol Gunes (Besiktas) e o alemão Thomas Tuchel (Paris Saint-Germain).

Ler mais

Exclusivos

Premium

Ricardo Paes Mamede

O populismo entre nós

O sucesso eleitoral de movimentos e líderes populistas conservadores um pouco por todo o mundo (EUA, Brasil, Filipinas, Turquia, Itália, França, Alemanha, etc.) suscita apreensão nos países que ainda não foram contagiados pelo vírus. Em Portugal vários grupúsculos e pequenos líderes tentam aproveitar o ar dos tempos, aspirando a tornar-se os Trumps, Bolsonaros ou Salvinis lusitanos. Até prova em contrário, estas imitações de baixa qualidade parecem condenadas ao fracasso. Isso não significa, porém, que o país esteja livre de populismos da mesma espécie. Os riscos, porém, vêm de outras paragens, a mais óbvia das quais já é antiga, mas perdura por boas e más razões - o populismo territorial.