"Claro que Portugal é candidato a vencer a Liga das Nações"

Selecionador nacional diz que Portugal nunca é favorito, mas que assume sempre a ambição em qualquer prova. Sobre ausência de Ronaldo, Santos não disfarçou algum incómodo: "Estamos sempre a repisar nisto, nem faz bem à seleção nem ao país".

Fernando Santos fez esta segunda-feira o lançamento do Portugal-Polónia desta terça-feira, no Estádio D. Afonso Henrqiues, em Guimarães, relativo à Liga das Nações, um jogo já só para cumprir calendário dado que a seleção nacional já está apurada para a final four na nova competição da UEFA, que se vai realizar em junho em Portugal.

Pois bem, nesse sentido, e até pelo facto de a final four se realizar em Portugal, o selecionador foi questionado sobre o facto de a seleção nacional poder conquistar este troféu. E a resposta foi clara.

"É complicado antecipar o que vai acontecer em junho. Não sabemos como estão os jogadores, as outras seleções... mas se me perguntam se acho que Portugal é candidato? Claro que Portugal é candidato. Se nos assumimos como candidatos no Mundial e no Europeu... Nunca somos favoritos, mas temos consciência de que podemos ganhar", referiu Santos.

O selecionador voltou esta segunda-feira a ser questionado sobre a ausência de Cristiano Ronaldo da seleção nacional. E desta mostrou algum incómodo com a pergunta. "Já respondi várias vezes a essa questão. Se alguém tiver dúvidas de que o Cristiano Ronaldo está com a equipa basta ver os posts que pôs antes e depois do jogo. Estamos sempre a repisar nisto, nem faz bem à seleção nem ao país. É retirar capacidade aos jogadores que conseguiram o apuramento de forma brilhante. Podem continuar a insistir, mas para mim já se torna difícil responder sempre à mesma coisa", vincou.

Questionado sobre o registo defensivo da equipa na prova - dois golos sofridos em três jogos -, Fernando Santos considerou que a equipa até "sofreu golos a mais" e realçou que, no futebol, os tentos sofridos geram, por vezes, efeitos imprevisíveis - deu o exemplo dos cinco golos sofridos pela Bélgica, depois de estar a vencer a Suíça por 2-0, para o Grupo 2 da Liga das Nações, no domingo.

Selecionador nacional desde 2014, Fernando Santos orientou a seleção que conquistou o primeiro título europeu, em 2016, e averbou somente duas derrotas em 56 jogos - Suíça, na qualificação para o Mundial de 2018, e Uruguai, na fase final da prova, na Rússia. O treinador reiterou que a atual geração da seleção "vai ficar nos livros de história", mas precisa de "continuar igual a si própria" para continuar a ganhar jogos e manter o estatuto que conquistou.

A seleção portuguesa recebe a seleção da Polónia, num jogo do Grupo 3 da Liga das Nações, marcado para as 19:45 desta terça-feira, no Estádio D. Afonso Henriques, em Guimarães.

Ler mais

Exclusivos