Claque da Lazio não quer mulheres na zona reservada a ultras

Panfleto a pedir para que mulheres não estejam nas primeiras dez filas da curva norte circulou no jogo deste sábado entre Lazio e Nápoles, para o campeonato italiano

Um panfleto polémico circulou na chamada Curva Nord [curva norte] do Estádio Olímpico de Roma durante o jogo entre Lazio e Nápoles, a contar para a 1.ª jornada do campeonato italiano.

"A Curva Nord representa para nós um lugar sagrado, um ambiente com um código não escrito, mas a ser respeitado. As primeiras filas funcionam como uma linha de trincheiras. Não admitimos mulheres, esposas e namoradas, ou então convidamos a posicionar-se a partir da décima fila. Quem escolhe o estádio como alternativa a um dia despreocupado e romântico da Villa Borghese [famoso parque na cidade de Roma], que vá para outros setores", pode ler-se.

A hipótese de crime por discriminação já está a ser investigados pelas autoridades italianas, que estão a analisar as filmagens das câmaras para recolher informações e identificar possíveis cabecilhas.

Ler mais

Exclusivos

Premium

Ricardo Paes Mamede

Legalização da canábis, um debate sóbrio 

O debate público em Portugal sobre a legalização da canábis é frequentemente tratado com displicência. Uns arrumam rapidamente o assunto como irrelevante; outros acusam os proponentes de usarem o tema como mera bandeira política. Tais atitudes fazem pouco sentido, por dois motivos. Primeiro, a discussão sobre o enquadramento legal da canábis está hoje em curso em vários pontos do mundo, não faltando bons motivos para tal. Segundo, Portugal tem bons motivos e está em boas condições para fazer esse caminho. Resta saber se há vontade.

Premium

nuno camarneiro

É Natal, é Natal

A criança puxa a mãe pela manga na direcção do corredor dos brinquedos. - Olha, mamã! Anda por aqui, anda! A mãe resiste. - Primeiro vamos ao pão, depois logo se vê... - Mas, oh, mamã! A senhora veste roupas cansadas e sapatos com gelhas e calos, as mãos são de empregada de limpeza ou operária, o rosto é um retrato de tristeza. Olho para o cesto das compras e vejo latas de atum, um quilo de arroz e dois pacotes de leite, tudo de marca branca. A menina deixa-se levar contrariada, os olhos fixados nas cores e nos brilhos que se afastam. - Depois vamos, não vamos, mamã? - Depois logo se vê, filhinha, depois logo se vê...