Ciclista Mark Cavendish suspende carreira para curar vírus

O ciclista britânico vai suspender a sua carreira por um período indeterminado para curar o vírus Epstein-Barr, da família do herpes, anunciou esta quarta-feira a sua equipa, a Dimension Data.

Mark Cavendish, de 33 anos, vencedor de 30 etapas da Volta à França, mas que na edição deste ano se atrasou significativamente na 11.ª tirada, vai parar por "conselho médico" e "falhar as próximas provas", precisou a equipa.

"Esta época não me senti eu mesmo ao nível físico", explicou Cavendish no comunicado, recordando que o vírus em causa, o Epstein-Barr, pode causar doenças como a mononucleose infecciosa.

O sprinter manifestou-se ainda satisfeito por ter finalmente descoberto a razão para a diminuição das suas capacidades físicas durante a época e que o impediram de se apresentar ao seu melhor nível.

O vírus pode passar despercebido porque alguns dos sintomas associados podem parecer ligeiros, como a fadiga mais ou menos intensa, as dores de garganta ou a febre latejante.

Este vírus foi diagnosticado pela primeira vez a Cavendish em abril de 2017 e o britânico voltou à competição dois meses depois, na Volta à Eslovénia. Desde então, acumulou problemas físicos, especialmente o sofrido no ombro durante a Volta a França de 2017.

Ler mais

Exclusivos

Premium

João Almeida Moreira

Bolsonaro, curiosidade ou fúria

Perante um fenómeno que nos pareça ultrajante podemos ter uma de duas atitudes: ficar furiosos ou curiosos. Como a fúria é o menos produtivo dos sentimentos, optemos por experimentar curiosidade pela ascensão de Jair Bolsonaro, o candidato de extrema-direita do PSL em quem um em cada três eleitores brasileiros vota, segundo sondagem de segunda-feira do banco BTG Pactual e do Instituto FSB, apesar do seu passado (e presente) machista, xenófobo e homofóbico.