Carta do selecionador croata era falsa e autor já confessou

Afinal, não era verídica a suposta carta aberta de Zlatko Dalic no Facebook, com ferozes críticas dirigidas à classe política do país.

Afinal, a suposta carta aberta do selecionador croata Zlatko Dalic no Facebook, em que eram dirigidas ferozes críticas à classe política do país, não foram escritas pelo treinador vice-campeão do mundo.

Depois de ter criado uma polémica que atravessou fronteiras, o verdadeiro autor, Igor Premuzic, confessou ao portal croata Dnevno ter escrito o texto, que no seu entender deveria ser escrito por "um verdadeiro desportista e patriota".

Na tal carta difundida numa rede social falsa de Zlatko Dalic, Premuzic afirmou que "a Croácia é o país mais pobre da União Europeia, governado por pessoas más e por membros de uma organização que já foi declarada como criminosa".

"Hoje, na Croácia, os nossos reformados não conseguem fazer face às suas necessidades mais básicas, os jovens não conseguem pagar a educação, os cuidados de saúde estão em colapso e o sistema judicial protege o grande capital e é corrupto", pode ler-se no texto fictício, em que se pedia "aos políticos e a todos os representantes das autoridades" para "que se afastem da seleção de futebol da Croácia".

Na publicação, constava ainda a promessa de que todos os prémios ganhos no Mundial da Rússia, cerca de 23 milhões de euros, seriam depositados num fundo especial para crianças da Croácia, para "financiar férias de crianças que nunca viram o mar Adriático".

Ler mais

Exclusivos

Premium

Nuno Artur Silva

Notícias da frente da guerra

Passaram cem anos do fim da Primeira Guerra Mundial. Foi a data do Armistício assinado entre os Aliados e o Império Alemão e do cessar-fogo na Frente Ocidental. As hostilidades continuaram ainda em outras regiões. Duas décadas depois, começava a Segunda Guerra Mundial, "um conflito militar global (...) Marcado por um número significativo de ataques contra civis, incluindo o Holocausto e a única vez em que armas nucleares foram utilizadas em combate, foi o conflito mais letal da história da humanidade, resultando entre 50 e mais de 70 milhões de mortes" (Wikipédia).