Bruno de Carvalho "sempre teve uma boa relação com os jogadores"

Comunicado da candidatura de Bruno de Carvalho reafirma que regresso à presidência está para breve e que os jogadores terão "segurança, paz e tranquilidade"

A lista "Feitos de Honra. Leais ao Sporting" encabeçada por Bruno de Carvalho emitiu um comunicado no qual tenta desmistificar um possível receio dos atletas na eventualidade de Bruno de Carvalho reassumir a presidência, em especial Bas Dost, Bruno Fernandes e Battaglia que, segundo o comunicado, regressaram a Alvalade com outras condições financeiras.

Sobre a questão judicial, o comunicado é taxativo ao dizer que o Sporting não pode fazer mais nada a não ser acatar a não ser a suposta decisão judicial e que, de acordo com este comunicado, suspendido a deliberação da Assembleia Geral de dia 23 de junho.

Eis o comunicado na íntegra:

Ninguém tem dúvidas sobre o grande amor que une Bruno de Carvalho ao Sporting Clube de Portugal. Aliás, só uma pessoa que ama o nosso Clube tão intensamente é que poderia sujeitar-se ao sacrifício de lutar pela reposição da legalidade; e poderia sujeitar-se a todo o tipo de ataques de que tem sido alvo, assim como a sua família, em especial na comunicação social que sempre foi hostil ao SCP e que agora, por razões meramente conjunturais, se mostra cúmplice com as acções da putativa comissão de gestão, assim como de outros órgãos exercidos de forma transitória.

Uma das grandes falácias que os dirigentes transitórios do SCP, de forma anónima, fazem correr na comunicação social tem a ver com a reacção dos jogadores ao regresso de Bruno de Carvalho à presidência do Sporting CP, em especial aqueles que rescindiram os seus contratos e acabaram por regressar ao plantel.

Lembramos, a propósito, que Bruno de Carvalho sempre disse que os jogadores que apresentaram as cartas de rescisão, poderiam reflectir e voltar atrás na sua decisão. Bas Dost, Battaglia e Bruno Fernandes acabaram por voltar atrás. Não nas mesmas condições contratuais, é certo - até porque a situação financeira da Sporting SAD o permite -, mas o importante é que os jogadores regressaram para defender as cores do nosso Clube.

O fundamental para o presente e para o futuro é que os atletas Bas Dost, Battaglia e Bruno Fernandes integram a família sportinguista de pleno direito e são três activos da Sporting SAD que os Sportinguistas devem apoiar e acarinhar sem quaisquer reservas, como apoiam qualquer outro do nosso quadro de jogadores.

Bruno de Carvalho sempre teve um bom relacionamento com os jogadores, como ficou cabalmente provado no dia da conquista de Taça da Liga, em 28 de janeiro de 2018, mesmo quando terceiras pessoas já estariam no terreno a minar o relacionamento entre as partes.

Por isso, com o regresso de Bruno de Carvalho à presidência do SCP, que estará para breve, na sequência das iniciativas judiciais em curso, todos os jogadores do futebol profissional do Sporting, assim como a equipa técnica e todo o staff da estrutura do futebol profissional, podem contar com todo o apoio necessário de Bruno de Carvalho e da sua equipa de dirigentes para que tenham condições de excelência, em absoluta segurança, paz e tranquilidade para o desenvolvimento do seu trabalho nas provas desportivas em que estão envolvidos.

A VERDADE SOBRE HOJE.

NÃO EXISTE CONFERÊNCIA DE IMPRENSA DA PUTATIVA COMISSÃO DE GESTÃO QUE ESCONDA A VERDADE!

A DELIBERAÇÃO DE DESTITUIÇÃO ESTÁ SUSPENSA SENDO QUE OS PRESIDENTES DO CLUBE E SAD SE MANTÊM OS MESMOS DE ANTES DA AG!

Uma das Providência Cautelares que entregámos á consideração da justiça requeria a suspensão da deliberação da assembleia geral de dia 23 de Junho.

A justiça declarou ser ilícita a execução dessa deliberação (ou seja SCP após 1/08 não pode fazer nada que não seja acatar a decisão e restituir-nos às funções que são nossas por Direito) antes da decisão judicial e suspendeu-a.

O resultado foi comunicado e a contraparte foi citada.

As gentes de Marta Soares foram citadas no dia 1 de Agosto. E no dia dois de Agosto os seus comissários inventaram a pretensa suspensão. Isto é uma forma capciosa e clara de resistência ao Despacho Judicial.

Os comissários de Marta Soares exerceram os poderes do Conselho Fiscal - de acordo com a fantasia escolhida - mas este conselho não tem poderes disciplinares quanto a actos de Direcção, porque essa é matéria da exclusiva avaliação e decisão das Assembleias Gerais.

Acresce que não há nenhum órgão eleito com prevalência estatutária ou eleitoral sobre outro órgão eleito.

E portanto, depois de sabermos que a contraparte foi citada e de termos apresentado a registo o requerimento de suspensão de deliberação, com efeitos evidentes relativamente à pretensa nomeação de Sousa Cintra na SAD, apresentamo-nos a retomar as nossas funções.

Havendo resistência ou oposição a isso, faremos o que a Lei nos coloca ao alcance fazermos. A nossa equipa de advogados e juristas tratará disso. Evidentemente.

Verifiquem que as gentes de Marta Soares não têm ainda feita a acta da assembleia geral (depois de quase dois meses), e que a certificação notarial da votação só foi feita vários dias depois, porque apesar do notário, chamado por eles, estar presente, não lhe entregaram nada na altura...

Quanto às eleições:

Tal como a gente de Marta Soares está a pôr as coisas, as eleições, seriam inevitavelmente impugnadas, porque na sua estratégia, a crise bastar-lhe-ia para pôr e dispor dos recursos do Sporting C.P.

Não temos objecções a apresentarmo-nos às eleições.

Depois de uma crise como esta, é útil refrescar a legitimidade eleitoral.

É portanto preciso defender a regularidade do acto.

Vamos continuar a trabalhar para evitar que se instale definitivamente o sinistro projecto cuja tentativa está em curso. Acredito que vamos conseguir.

Mas existem situações que nao podemos admitir ou abdicar que podem atrasar um pouco a data destas eleições:

1 - já ter sido feito o sorteio das listas sem a presença da nossa;

2 - acções de campanha desmarcadas por ordem da fraudulenta comissão de gestão;

3 - por já terem sido enviados os votos por correspondência sem a nossa lista presente nos respectivos boletins;

4 - ter a certeza que o acto eleitoral decorre em conformidade com o efectuado em 2013, nomeadamente:

4.1 Ter duas zonas de verificação/"checkpoint"/segurança antes de chegar à zona de acreditação;

4.2 Na zona de acreditação com delegados de todas as listas;

4.3 Na zona da urna e computador com delegados de cada lista;

4.4 Na zona de contagem de votos, quer presenciais quer os por correspondência, com delegados de todas as listas;

4.5 Ser por voto electrónico (supervisionado por uma entidade independente aceite por todas as candidaturas) mas também com voto em urna (conforme 2013) para no caso de duplicidade, em caso de voto por correspondência que depois também exista voto presencial só valer este último, bem como, no caso de falta de correspondência entre o voto em urna e o electrónico também poder ser anulado em conformidade;

Os Leais Ao Sporting não são desertores. Não vergam. Aguentam firme porque têm a força das suas convicções num Sporting forte, ganhador e independente.

Juntos somos mais fortes!

Foi uma importante vitória da democracia e da tolerância. Foi uma vitória do Sporting C.P.

Continuamos o nosso caminho para que o Sporting C.P. seja sempre dos Sócios e para os Sócios!


Ler mais

Exclusivos