Bruno de Carvalho nega ter tentado congelar contas bancárias do SCP

Antigo líder do Sporting diz nas redes sociais que Comissão de Gestão do clube o acusa de "crimes que não existem" na lei portuguesa.

Num comunicado que assina como "presidente do Conselho Diretivo" do Sporting, Bruno de Carvalho garantiu esta terça-feira que "não houve nenhuma tentativa de congelamento de qualquer conta bancária" do clube ou da SAD.

"É evidente que ninguém procurou congelar qualquer conta bancária" do clube ou da SAD, escreveu Bruno de Carvalho, depois de a Comissão de Gestão do Sporting o acusar de ter enviado "cartas a bancos com os quais o SCP mantém relações comerciais".

Contudo, Bruno de Carvalho - oficialmente destituído da presidência do clube - afirmou que "os membros da direção em exercício por força da suspensão precária" (leia-se aquela a que presidiu) "fizeram e farão o que devem".

Referindo-se aos membros da Comissão de Gestão do Sporting como "comissários de JMS" - Jaime Marta Soares, presidente da Assembleia Geral -, Bruno de Carvalho acusou-os de falarem "em nome do clube e como se fossem a sua direção em exercício".

No que qualificou como um "novo exercício de despudorada desonestidade intelectual" da estrutura presidida por Artur Torres Pereira, Bruno de Carvalho disse que a denúncia contra si por alegadamente ter tentado congelar as contas bancárias da instituição e da SAD corresponde a "participações por crimes inexistentes" como o de fraude.

Bruno de Carvalho, que há dias quis reassumir funções com base numa providência cautelar que não traduzia a decisão judicial que dizia existir nesse sentido, acusou ainda os responsáveis da Comissão de Gestão de "expressar as imaginações delirantes sobre os tribunais, inclusivamente fazendo-se intérpretes do que os senhores juízes decidirão".

Ler mais

Exclusivos