Benfica vence Dortmund nos penáltis, depois de estar a perder por 2-0

O Benfica estreou-se na quarta-feira a ganhar na Internacional Champions Cup em futebol, ao bater o Borussia Dortmund por 4-3, nas grandes penalidades, após um jogo que empatou a dois, depois de estar a perder por 2-0.

Maximilian Philipp marcou dois golos de 'rajada' para os alemães, aos 20 e 22 minutos, mas o Benfica, que até tinha entrado melhor, conseguiu chegar ao empate na segunda parte, com tentos de André Almeida, aos 51, e Alfa Semedo, aos 69.

A 12 dias receção ao Fenerbahçe, para a primeira mão da terceira pré-eliminatória da Liga dos Campeões, o Benfica acabou, depois, por somar dois pontos na prova nos penáltis, face a um adversário que havia batido Manchester City e Liverpool.

Antes da estreia oficial na época 2018/19, o conjunto comandado por Rui Vitória ainda vai medir forças com a Juventus (sábado, ainda nos Estados Unidos) e o Lyon (01 de agosto, no Algarve).

A formação 'encarnada' entrou em '4-3-3', com André Almeida, Rúben Dias, Jardel e Grimaldo, à frente de Svilar, um meio campo com Fejsa, Gedson Fernandes e Pizzi e dois extremos (Zivkovic e Rafa) no apoio ao ponta de lança Castillo.

O Benfica começou bem, com pressão muito alta, a condicionar a saída de bola do adversário, mas sem criar perigo, ao contrário dos alemães, que, após perda de bola de Gedson, 'assustaram' aos 15 minutos, no primeiro remate, de Phillipp, pouco ao lado.

O avançado do Dortmund não demorou, porém, a marcar dois golos de 'rajada', com toques subtis, o primeiro aos 20 minutos, após jogada entre Larsen e Götze, com passe do dinamarquês, e depois, aos 22, após uma assistência do autor do golo que decidiu o Mundial2014, um 'chapéu' por cima de Jardel.

A formação lusa acusou os golos e teve alguns minutos de desorientação, mas, até ao intervalo, podia ter marcado, nomeadamente aos 30, quando, pressionado por Gedson, o guarda-redes Hitz falhou, mas Pizzi não conseguiu aproveitar.

Para a segunda parte, Rui Vitória trocou o trio da frente, fazendo entrar Salvio, Cervi e Ferreyra, e os 'encarnados' reduziram aos 51 minutos, por André Almeida, na área, sobre a direita, após assistência de Pizzi.

Seguiram-se, depois, catadupas de substituições, oito nos alemães aos 62 minutos, a juntar às duas do intervalo, e cinco no Benfica aos 66, com as entradas de Conti, Yuri Ribeiro, Samaris, Alfa Semedo e Jonas, para um '4-4'2'.

O conjunto da Luz saiu melhor deste 'turbilhão' de mudanças, uma vez que, aos 69 minutos, chegou à igualdade, com Alfa Semedo a rematar à entrada da área contra a defesa, a ganhar o ressalto, a isolar-se e, com calma, a bater Hitz.

Na parte final, o Benfica, que ainda fez entrar Ebuehi e Lema, tentou chegar ao terceiro, que Alfa Semedo e Salvio tiveram na cabeça, mas o Dortmund também teve duas ocasiões, mas Sancho não finalizou da melhor forma.

Seguiram-se os penáltis, para atribuir dois pontos ao vencedor e um ao vencido, e a equipa 'encarnada' levou a melhor, com Sergio Gomez, ao terceiro pontapé, e Samaris, ao oitavo, a atirarem ao 'ferro' e Svilar a fazer a diferença ao nono, ao parar Isak.

"Foi um bom jogo, frente a uma equipa difícil. Conseguimos jogar bem, fazer o nosso jogo e ganhar nos penáltis, o que é bom, pois vitórias é sempre bom, para ganhar confiança. Agora, temos de continuar a trabalhar", disse Alfa Semedo.

Jogo no Heinz Field, em Pittsburgh, Estados Unidos.

Borussia Dortmund - Benfica, 2-2 (3-4 no desempate por grandes penalidades).

Ao intervalo: 2-0.

Marcadores:

1-0, Maximilian Philipp, 20 minutos.

2-0, Maximilian Philipp, 22.

2-1, André Almeida, 51.

2-2, Alfa Semedo, 69.

Desempate por grandes penalidades:

1-0, Wolf.

1-1, Lema.

1-1, Sergio Gomez (ao poste esquerdo).

1-2, Jonas.

2-2, Burnic.

2-3, Ferreyra.

3-3, Sancho.

3-3, Samaris (à barra).

3-3, Isak (defesa de Svilar).

3-4, Salvio.

Equipas:

- Borussia Dortmund: Hitz, Toljan (Hakimi, 62), Diallo (Pieper, 62), Toprak (Dieckmann, 62), Schmelzer (Wolf, 46), Sahin (Burnic, 62), Pulisic (Zagadou, 46), Dahoud (Sergio Gomez, 62), Götze (Rode, 62), Larsen (Sancho, 62) e Philipp (Isak, 62).

(Suplentes: Oelschlagel, Bockhorn, Burnic, Dieckmann, Sergio Gomez, Hakimi, Isak, Pieper, Piszczek, Reus, Rode, Sancho, Sechelmann, Wolf e Zagadou).

Treinador: Lucien Favre (suíço).

- Benfica: Svilar, André Almeida (Ebuehi, 83), Rúben Dias (Conti, 66), Jardel (Lema, 83), Grimaldo (Yuri Ribeiro, 66), Fejsa (Alfa Semedo, 66), Gedson Fernandes (Samaris, 66), Pizzi (Jonas, 66), Zivkovic (Salvio, 46), Rafa (Cervi, 46) e Castillo (Ferreyra, 46).

(Suplentes: Vlachodimos, Ebuehi, Conti, Lema, Yuri Ribeiro, Alfa Semedo, Samaris, Salvio, Cervi, Ferreyra e Jonas).

Treinador: Rui Vitória.

Árbitro: Nima Saghafi (Estados Unidos).

Ação disciplinar: Cartão amarelo para Zivkovic (17), Grimaldo (27), Hakimi (64) e Pieper (90+1).

Ler mais

Exclusivos

Premium

Pedro Lains

"Gilets jaunes": se querem a globalização, alguma coisa tem de ser feita

Há muito que existe um problema no mundo ocidental que precisa de uma solução. A globalização e o desenvolvimento dos mercados internacionais trazem benefícios, mas esses benefícios tendem a ser distribuídos de forma desigual. Trata-se de um problema bem identificado, com soluções conhecidas, faltando apenas a vontade política para o enfrentar. Essa vontade está em franco desenvolvimento e esperemos que os recentes acontecimentos em França sejam mais uma contribuição importante.