Benfica-Sporting da 3.ª jornada já tem dia e hora marcados

Liga revelou esta sexta-feira o calendário para a segunda e terceira jornadas do campeonato

A Liga revelou hoje os horários dos jogos relativos à 2.ª e 3.ª jornadas do campeonato e consequentemente quando será jogado o primeiro clássico da temporada: O Benfica-Sporting da terceira ronda será disputado no dia 25 de agosto, pelas 19.00, no Estádio da Luz.

2.ª jornada

Desp. Aves-Tondela (17 de agosto, 20h30)
Desp. Chaves-Portimonense (18 de agosto, 16h30)
Boavista-Benfica (18 de agosto, 19h00)
Sporting-V. Setúbal (18 de agosto, 21 horas)
Rio Ave-Marítimo (19 de agosto, 16 horas)
Nacional-Moreirense (19 de agosto, 16 horas)
Belenenses-FC Porto (19 de agosto, 18h30)
Santa Clara-Sp. Braga (19 de agosto, 19h30)
V. Guimarães-Feirense (20 de agosto, 20h15)

3.ª jornada

Marítimo-Desp. Chaves (24 de agosto, 20h30)
Portimonense-Santa Clara (25 de agosto, 16h30)
Benfica-Sporting (25 de agosto, 19 horas)
FC Porto-V. Guimarães (25 de agosto, 21 horas)
Feirense-Boavista (26 de agosto, 16 horas)
V. Setúbal-Nacional (26 de agosto, 16 horas)
Tondela-Rio Ave (26 de agosto, 18h30)
Sp. Braga-Aves (26 de agosto, 20h30)
Moreirense-Belenenses (27 de agosto, 20h15)

Ler mais

Exclusivos

Premium

Anselmo Borges

Francisco ​​​​​​​em Pequim?

1. A perseguição aos cristãos foi particularmente feroz durante a Revolução Cultural no tempo de Mao. Mas a situação está a mudar de modo rápido e surpreendente. Desde 1976, com a morte de Mao, as igrejas começaram a reabrir e há quem pense que a China poderá tornar-se mais rapidamente do que se julgava não só a primeira potência económica mundial mas também o país com maior número de cristãos. "Segundo os meus cálculos, a China está destinada a tornar-se muito rapidamente o maior país cristão do mundo", disse Fenggang Yang, professor na Universidade de Purdue (Indiana, Estados Unidos) e autor do livro Religion in China. Survival and Revival under Communist Rule (Religião na China. Sobrevivência e Renascimento sob o Regime Comunista). Isso "vai acontecer em menos de uma geração. Não há muitas pessoas preparadas para esta mudança assombrosa".