Benfica e Sp. Braga anunciam recurso da pena de um jogo à porta fechada

Os encarnados consideram a decisão do Conselho de Disciplina "ilegal, infundada e injusta" enquanto os bracarenses afirmam que a pena é "desconforme com os factos imputados"

O Benfica e o Sp. Braga anunciaram esta terça-feira que vão recorrer da decisão do Conselho de Disciplina da Federação Portuguesa de Futebol de puni-los com um jogo à porta fechada.

Os encarnados consideram a decisão "absolutamente ilegal, infundada e injusta, tendo em conta os factos e a prova produzida", alegando que o jogo foi no Estoril e, como tal, "não era o SL Benfica o promotor do espetáculo desportivo".

Nesse sentido, defende que "era à equipa visitada que competia assegurar a segurança do jogo, designadamente, a contratação de policiamento e de assistentes de recinto desportivo, realizar a revista de pessoas e bens, proibir a entrada de objetos proibidos ou perigosos no estádio e, em geral, o garantir da ordem e da disciplina no recinto desportivo".

A SAD do Benfica acrescenta que "não foram identificados, detidos, nem expulsos do estádio os adeptos autores dos arremessos", recorda que discordou do local onde foram colocados os seus adeptos "a junto da Estoril Praia SAD, Liga Portuguesa de Futebol Profissional e forças de segurança, por então considerar que se estava a potenciar o risco de arremesso de objetos para o interior do recinto (como veio a acontecer)" e explica ainda que "demonstrou ter adotado um conjunto de medidas de carácter preventivo e profilático antes da realização do jogo".

Nesse sentido, o Benfica diz ser "ridícula a interpretação da norma aplicada no sentido de se considerar que, aquando de 'uma manifestação de regozijo' - conforme leitura do próprio árbitro do jogo -, durante a celebração de um golo, um 'atraso' no reinício do jogo inferior a 45 segundos, estão preenchidos os requisitos que determinem a sanção de realização de um jogo à porta fechada". Como tal deixam um reparo: "As normas interpretam-se e não se aplicam de forma autómata."

Como tal, o clube da Luz diz ter sido "punido por factos pelos quais não tem qualquer culpa ou responsabilidade", razão pela qua não se conforma com com a decisão, pelo que "irá apresentar de imediato recurso para o Pleno do Conselho de Disciplina, o qual terá efeitos suspensivos".

Por sua vez, o Sp. Braga recebeu a notificação "com surpresa", acrescentando que "a pena aplicada é desconforme com os factos imputados", lembrando que "estão em causa 18 segundos" no reatar do encontro entre Sp. Braga e Sporting.

Ler mais

Exclusivos

Premium

Rosália Amorim

"Sem emoção não há uma boa relação"

A frase calorosa é do primeiro-ministro António Costa, na visita oficial a Angola. Foi recebido com pompa e circunstância, por oito ministros e pelo governador do banco central e com honras de parada militar. Em África a simbologia desta grande receção foi marcante e é verdadeiramente importante. Angola demonstrou, para dentro e para fora, que Portugal continua a ser um parceiro importante. Ontem, o encontro previsto com João Lourenço foi igualmente simbólico e relevante para o futuro desta aliança estratégica.