Benfica abre campeonato das críticas e questiona "Liga Blue Velvet"

Encarnados apontam dois lances do jogo FC Porto-Chaves e pedem cartões e castigos para Maxi e Brahimi

Primeira jornada, primeira "pedra" atirada na "guerra" de comunicação pelo título. O Benfica utilizou a sua conta de Twitter destinada exclusivamente aos media para criticar a arbitragem do FC Porto-Chaves, mostrando as imagens de dois lances que, segundo os encarnados, deveriam ter valido expulsões a jogadores portistas.

Primeiro, uma entrada dura de Maxi Pereira sobre o jogador do Chaves Luís Martins, ainda na primeira parte. Depois, a mão de Brahimi a apertar o pescoço de um adversário, já perto do final da partida.

"Regras e castigos únicos na liga Blue Velvet. Porque Máxi não é expulso? "Brahimi volta a apertar o pescoço a um adversário... Samaris foi castigado 3 jogos, e Brahimi? Ou nasce com Brahimi a nova imagem de marca das nossas competições?", questionou o Benfica.

O FC Porto iniciou a defesa do título, no sábado, com uma goleada por 5-0 sobre o Desportivo de Chaves, em jogo arbitrado pelo algarvio Nuno Almeida.

Ler mais

Exclusivos

Premium

Ricardo Paes Mamede

A "taxa Robles" e a desqualificação do debate político

A proposta de criação de uma taxa sobre especulação imobiliária, anunciada pelo Bloco de Esquerda (BE) a 9 de setembro, animou os jornais, televisões e redes sociais durante vários dias. Agora que as atenções já se viraram para outras polémicas, vale a pena revistar o debate público sobre a "taxa Robles" e constatar o que ela nos diz sobre a desqualificação da disputa partidária em Portugal nos dias que correm.

Premium

Rosália Amorim

Crédito: teremos aprendido a lição?

Crédito para a habitação, crédito para o carro, crédito para as obras, crédito para as férias, crédito para tudo... Foi assim a vida de muitos portugueses antes da crise, a contrair crédito sobre crédito. Particulares e também os bancos (que facilitaram demais) ficaram com culpas no cartório. A pergunta que vale a pena fazer hoje é se, depois da crise e da intervenção da troika, a realidade terá mudado assim tanto? Parece que não. Hoje não é só o Estado que está sobre-endividado, mas são também os privados, quer as empresas quer os particulares.