Bayern sem Renato entra a vencer na Bundesliga

Português nem ao banco foi. Bávaros receberam e bateram o Hoffenheim por 3-1 com golos de Thomas Muller, Lewandowski e Robben.

O Bayern Munique venceu no primeiro jogo da Bundesliga, edição 2018/2019. Os bávaros, com várias estrelas no banco (Hummels, Robben, James Rodríguez) não tiveram muitas dificuldades para levar e vencida o Hoffenheim por 3-1.

O primeiro golo surgiuaos 23' com Thomas Muller a cabecear com êxito após um canto de Kimmich. Os visitantes ainda chegaram ao empate, aos 57', por intermédio do húngaro Szalai num lance muito consentido por Boateng.

Aos 79' um lance caricato. Penálti para o Bayern, Lewandowski remata, o guarda-redes defende e Robben, na recarga, atirou a contar. Contudo, o árbitro foi chamado à atenção pelo VAR de que o guarda-redes se tinha adiantado para a frente da linha de golo e mandou repetir o penálti. Na repetição, o polaco fez mesmo golo.

Contudo, Robben acabaria por inscrever o seu nome na lista de marcadores ao fazer o 3-1, com um remate fácil no interior da área, aos 90+1'.

O português do Bayern Munique, Renato Sanches, não esteve sequer no banco de suplentes.

Ler mais

Premium

João César das Neves

Donos de Portugal

A recente polémica dos salários dos professores revela muito do nosso carácter político e cultural. A OCDE, no habitual "Education at a Glance", apresenta comparações de indicadores escolares, incluindo a remuneração dos docentes. O estudo é reservado, mas a sua base de dados é pública e inclui dados espantosos, que o professor Daniel Bessa resumiu no Expresso de dia 15: "Com um salário que é cerca de 40% do finlandês, 45% do francês, 50% do italiano e 60% do espanhol, o português médio paga de impostos tanto como os cidadãos destes países (a taxas de tributação que, portanto, se aproximam do dobro) para que os salários dos seus professores sejam iguais aos praticados nestes países."