Avançado espanhol que esteve nas cogitações do Sporting é reforço do West Ham

Lucas Pérez, de 29 anos, é reforço dos londrinos para as próximas três temporadas, revelaram esta quinta-feira os hammers, a poucas horas do fecho da janela de transferências na Liga inglesa.

De acordo com a imprensa inglesa, o montante da transferência do jogador que esteve na lista de potenciais reforços para o Sporting em 2018/19 e que o Arsenal emprestou na última temporada ao Deportivo é de quatro milhões de libras (cerca de 4,4 milhões de euros).

O avançado espanhol tinha chegado ao Arsenal em 2016/17, proveniente do Depor, mas regressou aos espanhóis na última época, depois de efetuar apenas 21 jogos (sete golos) pelos gunners.

Lucas Pérez é a oitava contratação do West Ham, depois de Ryan Fredericks (Fulham), Lukasz Fabianski (Swansea), Issa Diop (Toulouse), Jack Wilshere (Arsenal), Aindriy Yarmolenko (Borussia Dortmund), Fabian Balbuena (Corinthians) e Felipe Anderson (Lazio).

O avançado do FC Porto Marega, que ficou de fora dos dragões na Supertaça Cândido Oliveira, era dado como alvo do West Ham, mas a imprensa adianta que os responsáveis dos hammers não terão chegado a acordo com os azuis e brancos.

Ler mais

Exclusivos

Premium

Henrique Burnay

Discretamente, sem ninguém ver

Enquanto nos Estados Unidos se discute se o candidato a juiz do Supremo Tribunal de Justiça americano tentou, ou não, há 36 anos abusar, ou mesmo violar, uma colega (quando tinham 17 e 15 anos), para além de tudo o que Kavanauhg pensa, pensou, já disse ou escreveu sobre o que quer que seja, em Portugal ninguém desconfia quem seja, o que pensa ou o que pretende fazer a senhora nomeada procuradora-geral da República, na noite de quinta-feira passada. Enquanto lá se esmiúça, por cá elogia-se (quem elogia) que o primeiro-ministro e o Presidente da República tenham muito discretamente combinado entre si e apanhado toda a gente de surpresa. Aliás, o apanhar toda a gente de surpresa deu, até, direito a que se recordasse como havia aqui genialidade tática. E os jornais que garantiram ter boas fontes a informar que ia ser outra coisa pedem desculpa mas não dizem se enganaram ou foram enganados. A diferença entre lá e cá é monumental.