Sérgio Conceição: "Gosto de desafios, de me safar a mim próprio"

O treinador do FC Porto deu uma entrevista à revista Cristina onde explica as razões porque aceitou o desafio de levar os dragões ao título

Carlos Nogueira
© Leonel de Castro/Global Imagens

Sérgio Conceição, treinador do FC Porto, admitiu, em entrevista à revista Cristina, que quando há um ano aceitou ser treinador dos portistas tinha consciência dos riscos que corria. "Sabia que ia ser difícil, que tínhamos um trabalho complicado pela frente. Até porque o Benfica tinha ganho os quatro campeonatos anteriores e esteve forte durante a época e está forte neste momento", assumiu.

O técnico portista lembrou que tinha à sua disposição "uma equipa de baixo custo", embora isso não o tenha condicionado e explicou porquê: "Eu conhecia bem o que era a estrutura do FC Porto, também conhecia bem os jogadores que compunham o plantel. Tinha conhecimento de alguns emprestados que tinham qualidade para fazer uma época de acordo com aquilo que esperava deles."

Nesse sentido, deixou claro que não teve medo. "Para mim, os desafios são aliciantes. Gosto de desafios, de me safar a mim próprio. Aliás, a minha vida foi um desafio grande e continua a ser", frisou, acrescentando que foram as dificuldades que o fizeram aceitar o desafio.

"Voltei a um clube que, no fundo, me diz tanto e que estava numa sitruação complicada, depois de um rival ganhar quatro campeonatos seguidos. Senti que era o momento de tentar abraçar o projeto e tentar o que conseguimos fazer no final: ganhar o campeonato, que era o principal objetivo", disse, assumindo um dos princípios que norteia a sua vida: "Ninguém vai conseguir desviar-me daquilo que eu quero. Depois posso não conseguir."