Bas Dost cada vez mais próximo de regressar ao Sporting

O holandês está quase a fazer marcha-atrás e a rubricar um novo contrato com os leões. Vai manter o ordenado que tinha em vigor antes de rescindir com o emblema verde e branco. Conversas positivas também com Battaglia.

Bruno Pires
 | foto Filipe Amorim/Global Imagens
 | foto Pedro Rocha / Global Imagens

Depois de Bruno Fernandes, Bas Dost está muito perto de regressar ao Sporting. O holandês está quase determinado a recuar na intenção de abandonar o clube leonino 34 dias depois de ter rescindido alegando justa causa.

Bas Dost, 29 anos, vai ser, se tudo correr como a SAD do Sporting espera, (re)apresentado depois de assinar um novo contrato, mantendo os seus honorários - quatro milhões de euros brutos por ano.

Nos últimos 34 dias muita coisa aconteceu. Sevilha e Fenerbahçe mostraram-se interessados no concurso do goleador, mas as ofertas que chegaram a Alvalade não preenchiam os requisitos estipulados pela SAD verde e branca para entabular, sequer, uma negociação. Enquanto isso, a mulher de Bas Dost, a ciclista Annefleur Leeuw, revelava a sua absoluta intransigência em voltar a Lisboa, ainda para mais estando numa fase avançada da gravidez.

Bas Dost foi o primeiro a dar sinais de que podia baixar a guarda, mas depois era preciso convencer a sua esposa, o que terá acontecido nas últimas horas. A situação que poderá ter ajudado a um feliz desenlace terá sido a decisão de Jaime Marta Soares em não aceitar a candidatura de Bruno de Carvalho. O holandês não ficou, decididamente, com boas recordações do ex-presidente e tentou sempre perceber, nas conversas que mantinha com o Sporting, se existia alguma possibilidade de Bruno de Carvalho regressar ao clube.

Na terça-feira as coisas complicaram-se devido a exigências económicas do holandês e dos seus empresários, mas tudo ficou resolvido a contento de todas as partes sem que o Sporting tenha feito um esforço financeiro adicional.

O Sporting, em especial Sousa Cintra, jogou com a vida que Bas Dost tem em Portugal e que o holandês não se cansava de elogiar publicamente antes do incidentes de Alcochete. E o presidente da SAD garantiu de uma forma inequívoca que o que sucedeu a 15 de maio em Alcochete não tem qualquer hipótese de repetição.

Como o DN avançou na segunda-feira, Bas Dost era um dossiê para resolver até fim da semana e será mesmo isso que vai acontecer, tendo grandes possibilidades de terminar com a reintegração do holandês, seguindo as pisadas de Bruno Fernandes.


Paralelamente decorreram também nesta quarta-feira negociações tendo em vista o regresso de Battaglia. O argentino tem ofertas, mas a hipótese mais sólida passará pela sua reintegração no plantel do clube de Alvalade. Também com o médio houve a garantia de que os incidentes de Alcochete são irrepetíveis, mas há ainda alguma pedra por partir.

O assunto está bem encaminhado, o prazo de encerrar o tema até sábado, último dia da semana, mantém-se, mas falta o essencial: o acordo total. Para já existem razões para otimismo, seja com Bas Dost ou com Battaglia.