Alcochete: há imagens das agressões que também mostram jovens a ajudar os jogadores

Alguns advogados dos detidos vão pedir acesso à versão integral das filmagens dos incidentes na Academia de Alcochete. Há imagens que o Ministério Público não mostrou

As imagens da Academia do Sporting, em Alcochete, apreendidas pelo Ministério Público (MP) não mostram só as agressões aos jogadores e a elementos da equipa técnica, entre os quais Jorge Jesus. De acordo com fontes policiais que estão a acompanhar o processo, foram também filmados vários jovens - que estão entre os detidos - que manifestaram a sua oposição ao que estava a acontecer.

Nos vídeos, segundo ainda as mesmas fontes, há jovens a ajudar os jogadores e a apagarem as tochas, para impedir que o fumo se espalhasse pelo balneário.

Estas imagens não foram, contudo, mostradas na íntegra ao tribunal pelo MP, quando promoveu e conseguiu que o juiz de instrução criminal (JIC) decretasse prisão preventiva para todos os 38 detidos. Esta atitude causou desconforto entre alguns elementos da GNR próximos da investigação, que chegaram a questionar a procuradora responsável.

Ao DN fontes policiais garantiram que há várias câmaras na Academia, que podem dar uma perspetiva completa dos acontecimentos e do grau de responsabilidade criminal de cada um dos elementos do grupo que ali se dirigiu naquele dia 15 de maio deste ano. Mas é certo, sustentam as mesmas fontes, "que houve vários jovens que não tiveram qualquer participação nas agressões ou injúrias e estão presos".

Alguns dos advogados dos detidos confirmaram ao DN a situação. Nenhum quis ser identificado. Um deles sublinhou ao DN que viu "imagens que vão ajudar na defesa de parte dos jovens". Outro dos advogados, que defende mais que um dos jovens, também teve conhecimento desses vídeos e revela que, pelo menos, em relação a um dos seus clientes as imagens provam que não cometeu nenhum dos crimes que lhe são imputados. "O MP promoveu a prisão preventiva para todos os que foram à Academia, independentemente do que fizeram", assinala.

Fonte policial diz ao DN "que houve vários jovens que não tiveram qualquer participação nas agressões ou injúrias e estão presos".

Este advogado disse ao DN que pretende requerer uma cópia da versão integral das filmagens de todas as câmaras da Academia e pondera mesmo pedir "peritos" que certifiquem que as mesmas "não foram manipuladas".

No entanto, nem todos os advogados dos arguidos tiveram acesso ainda a estas imagens. "O vídeo que vimos só mostra imagens negativas. Só depois de encerrar o processo é que vamos ter acesso a tudo. Só tivemos acesso ao que fundamentou a prisão preventiva", afirma um dos advogados que defende mais de uma dezena de arguidos e pediu o anonimato.

"Não consigo sinalizar se o MP escondeu provas, só quando vir o processo todo. Não era a primeira vez que acontecia, mas não quero pensar nisso", afiançou.

Os 38 detidos em prisão preventiva foram indiciados por vários crimes, o mais grave dos quais terrorismo, mas também por sequestro, ofensas à integridade física qualificada, ameaça agravada e dano com violência. Entre os detidos está o antigo líder da Juventude Leonina, Fernando Mendes.

O ex-presidente do Sporting, Bruno de Carvalho, e o atual líder da Juve Leo, "Mustafá", foram também detidos - indiciados pelos mesmos crimes - mas saíram em liberdade, por falta de provas, obrigados a pagar uma caução de 70 mil euros e a apresentações diárias ma esquadra da sua residência.

Ler mais

Exclusivos

Premium

adoção

Técnicos e juízes receiam ataques pelas suas decisões

É procurador no Tribunal de Cascais há 25 anos. Escolheu sempre a área de família e menores. Hoje ainda se choca com o facto de ser uma das áreas da sociedade em que não se investe muito, quer em meios quer em estratégia. Por isso, defende que ainda há situações em que o Estado deveria intervir, outras que deveriam mudar. Tudo pelo superior interesse da criança.