Advogado diz que processo disciplinar a Bruno de Carvalho é ilegal

Em comunicado, Pedro Proença diz que "o único propósito real é de impedir a candidatura"

O advogado de Bruno de Carvalho e do seu Conselho Diretivo no Sporting considera "ilegal" todo o processo que deu origem à suspensão preventiva dos anteriores do ex-presidente e dos outros membros da direção.

Em comunicado, Pedro Proença defende que "o putativo processo disciplinar está a ser utilizado como expediente cujo único propósito real é o de impedir a candidatura dos visados". Ou seja, visa diretamente Bruno de Carvalho e Carlos Vieira, que já assumiram a vontade de avançarem com listas para as eleições do Sporting marcadas para o dia 8 de setembro.

Pedro Proença defende ainda que "nunca poderia a suspensão preventiva valer como impedimento" para que os dois ex-dirigentes pudessem apresentar as suas candidaturas, uma vez que "nos termos dos Estatutos e da lei, não impede um sócio de se candidatar numas eleições para os órgãos sociais".

Na prática, o advogado garante que "os visados não estão legalmente suspensos e tudo isto é contestável judicialmente".

Ler mais

Exclusivos

Premium

DN Life

DN Life. «Não se trata o cancro ou as bactérias só com a mente. Eles estão a borrifar-se para o placebo»

O efeito placebo continua a gerar discussão entre a comunidade científica e médica. Um novo estudo sugere que há traços de personalidade mais suscetíveis de reagir com sucesso ao referido efeito. O reumatologista José António Pereira da Silva discorda da necessidade de definir personalidades favoráveis ao placebo e vai mais longe ao afirmar que "não há qualquer hipótese ética de usar o efeito placebo abertamente".