"Insultos a João Félix? Foi um comportamento imbecil de meia dúzia de indivíduos"

Secretário do Desporto, João Paulo Rebelo, comentou o incidente na chegada do jogador do Benfica à concentração da seleção nacional para a Liga das Nações.

O secretário de Estado da Juventude e Desporto criticou a postura de alguns adeptos que assobiaram o jogador do Benfica João Félix, no domingo à noite à chegada à concentração da seleção nacional para a Liga das Nações. "O comportamento imbecil de um, dois ou meia dúzia de indivíduos não representam o apoio absolutamente hegemónico que o país dá aos nossos jogadores, sobretudo quando estão a vestir a camisola da seleção. Disso não tenho dúvidas", afirmou João Paulo Rebelo, à margem de uma conferência organizada pela Rádio Renascença, em Lisboa.

Com a seleção quase a iniciar a participação na Liga das Nações - primeiro jogo da meia-final frente à Suíça é na quarta-feira - o governante garantiu a segurança da prova: "Evidentemente, desejo que a nossa seleção se saia bem e que nesta fase final possa dar uma enorme alegria aos portugueses e isso também contribui para alimentar a autoestima coletiva, que depois tem ainda reflexos económicos e na afirmação do nosso país."

O governante assumiu, de forma "indiscutível", que há "violência no desporto em Portugal" e que a sua erradicação exige um "trabalho conjunto". "Muitas vezes, passa-se uma ideia de uma certa impunidade. Quando há uma invasão de uma propriedade privada, há um crime. Quando há agressões a um árbitro, há um crime e estas são inclusivamente agressões qualificadas, são crimes públicos. Não dependem de qualquer tipo de queixa. E a justiça funciona, mas, às vezes, temos uma ansiedade de que a justiça funcione num tempo que não é o da justiça, porque a justiça precisa de tempo", observou João Paulo Rebelo defendendo que "a justiça desportiva tem vindo a melhorar muito significativamente".

Exclusivos