Ginni Infantino: "Seria mais do que irresponsável forçar o regresso do futebol"

O presidente da FIFA, enviou às federações uma mensagem em vídeo no qual avisa que "não vale a pena arriscar uma única vida humana por causa de um jogo, uma competição ou uma liga".

Gianni Infantino, presidente da FIFA, enviou esta sexta-feira uma mensagem em vídeo às suas 211 federações, no qual definiu como prioridade absoluta a saúde de adeptos, jogadores e todos os agentes envolvidos no futebol, lembrando que os interesses de clubes e ligas têm de respeitar o difícil momento sanitário que o mundo atravessa devido à pandemia de coronavírus.

"Não vale a pena arriscar uma única vida humana por causa de um jogo, uma competição ou uma liga. Isso deve estar bem claro para todos. Seria mais do que irresponsável forçar o regresso das competições se as coisas não forem 100% seguras. Se tivermos de esperar um pouco mais, devemos fazê-lo. É melhor esperar um pouco mais do que correr riscos", afirmou Infantino.

O presidente da FIFA aproveitou para elogiar os clubes que têm transmitido mensagens positivas neste momento difícil para todos, sobretudo divulgando as medidas de combate ao covid-19 e ajudando as suas comunidades.

Nesse sentido, garantiu que a FIFA está na disposição de ajudar no caso de uma crise financeira provocada pela pandemia. "Graças ao trabalho que temos realizado na FIFA nos últimos quatro anos, estamos neste momento numa situação financeira muito boa", destacou, lembrando que o organismo a que preside "possui uma boa reputação nos mercados financeiros", que ajudou "a consolidar uma base sólida com grandes reservas" financeiras. "Quando o futebol está em dificuldade, é preciso pensar no que podemos fazer para ajudar... É a nossa responsabilidade e nosso dever", frisou.

Nesse vídeo, Gianni Infantino não explicou, no entanto, de que forma é que vai prestar ajuda, mas FIFA tem analisado o impacto financeiro e, nesse sentido, deixou claro que "o mundo saberá onde o dinheiro será investido e o motivo desse investimento".

Infantino pediu que todos os agentes do futebol procurem o equilíbrio relativamente aos calendários de jogos internacionais, lembrando que é preciso "flexibilidade e bom senso" também nos contratos e nas transferências dos jogadores.

"Estou convencido de que o futebol desempenhará um papel fundamental para reunir as pessoas quando for seguro voltar jogar e pudermos estar com os nossos amigos e familiares em grandes grupos. Vamos preparar-nos para esse momento", concluiu.

Outros Conteúdos GMG