Gabinete de crise do Real Madrid reuniu até de madrugada

Florentino Pérez falou com o treinador Santiago Solari e com vários diretores do clube após a derrota com o Ajax. Para já o treinador deve manter-se no cargo, até porque faltam soluções internas.

A crise está definitivamente instalada no Real Madrid. Se as coisas já não estavam a correr bem, a eliminação na Champions diante do Ajax, na terça-feira, e sobretudo a forma como aconteceu, com uma escandalosa derrota caseira por 4-1, fizeram soar os alarmes. E por isso logo após o jogo realizou-se numa reunião de emergência no Santiago Bernabéu.

De acordo com o jornal Marca, mal terminou o jogo, o presidente Florentino Pérez desceu ao balneário para falar com os jogadores e mostrar o seu profundo desagrado com o que acabara de acontecer. Mas o mais importante aconteceu por volta da meia-noite, quando o líder madrileno mandou chamar o treinador Santiago Solari ao seu gabinete. Não se sabe o que foi discutido entre ambos, mas a Marca revela que nas reuniões mantidas foi abordada a possibilidade de Solari deixar já o comando da equipa. Florentino só deixou o estádio depois da 1.15 da manhã espanholas (menos uma em Portugal Continental). Depois, o presidente do Real ainda esteve reunido com vários responsáveis do clube da sua confiança numa reunião de crise.

Segundo o diário desportivo espanhol, contudo, dificilmente Solari deixará já o comando da equipa. Não porque exista confiança no seu trabalho. O problema é neste momento não existirem alternativas, já que um novo treinador, como é o caso de José Mourinho, não aceita pegar na equipa antes do final da temporada. E as soluções da casa - os ex-jogadores Raúl González e Xabi Alonso, que treinam os escalões jovens - não podem exercer o cargo por não terem qualificações.

De acordo com o jornal AS, que também fala numa reunião do gabinete de crise do Real Madrid que terá durado até às duas da madrugada e juntou as mais altas esferas do clube, é certo que Santiago Solari não será treinador do Real Madrid na próxima época. E os nomes em cima da mesa são José Mourinho, Mauricio Pochettino (Tottenham), Jureg Klopp (Liverpool) e Joachim Low (seleção alemã).

Exclusivos

Premium

Legionela

Maioria das vítimas quer "alguma justiça" e indemnização do Estado

Cinco anos depois do surto de legionela que matou 12 pessoas e infetou mais de 400, em Vila Franca de Xira, a maioria das vítimas reclama por indemnização. "Queremos que se faça alguma justiça, porque nunca será completa", defende a associação das vítimas, no dia em que começa a fase de instrução do processo, no tribunal de Loures, que contempla apenas 73 casos.