Marcel Keizer: "A ideia de jogo do Belenenses é muito boa"

O treinador dos leões elogiou a forma como os azuis querem jogar e elogiou o facto de a sua equipa ter criado muitas oportunidades. Jorge Silas fala em erros crassos em seis dos oito golos sofridos.

Marcel Keizer, treinador do Sporting, estava satisfeito com a goleada de 8-1, no Estádio Nacional, com o Belenenses SAD, mas fez questão de deixar uma palavra ao adversário.

"Foi um jogo entre duas equipas que queriam jogar desde trás. Jogámos muito bem, criámos oportunidades para marcar mais golos. Depois do cartão vermelho, o jogo foi diferente. A ideia de jogo do Belenenses é muito boa. Sempre que perdíamos a bola faziam pressão, por isso não foi um jogo fácil, mas estamos felizes com o jogo e com os golos", disse o técnico holandês.

Questionado sobre a possibilidade de o Sporting ainda atingir o segundo lugar, Keizer foi pragmático: "O segundo lugar não está nas nossas mãos. Temos de vencer todos os jogos até ao fim e ver o que acontece, o próximo foco é o Tondela. Todos os jogos são diferentes. Este foi muito bom para nós, mas só vale três pontos. O mais importante para mim é continuar a criar muitas oportunidades em todos os jogos."

Sobre Bas Dost: "Foi um golo importante para o Bas Dost. Veio de lesão e jogou 15 minutos. Trabalhou duro, queremo-lo cada vez mais forte, foi bom para ele e para nós."

Jorge Silas: "Quanto mais se erra, mais se aprende"

Jorge Silas, treinador do Belenenses SAD, lembrou que até à expulsão do guarda-redes Muriel Becker a sua equipa estava "a jogar bem". "Tivemos várias oportunidades antes do primeiro golo do Sporting, mas só erra quem está lá dentro. Depois da expulsão, o jogo ficou totalmente diferente. Com onze jogadores, não sei se perderíamos este jogo", disse.

Sobre a goleada: "É futebol. A minha primeira mensagem é de agradecimento aos meus jogadores, por tudo o que nos têm dado até aqui. Não é a primeira derrota nem a primeira goleada que sofro, não faz parte da minha essência desistir de nada nem de ninguém. Há erros técnicos que transformam boas ideias em ideias péssimas, e foi isso que aconteceu. Manteria os mesmos onze e a mesma estratégia."

Silas explicou que seis dos golos sofridos resultam de "erros crassos" que a sua equipa "não costuma cometer". "O quarto golo acabou por levar os jogadores animicamente abaixo. Até ao terceiro, não estávamos fora do jogo, muito pelo contrário", acrescentou.

"Poderíamos discutir o jogo e ganhar, como o jogo estava não era uma surpresa. O Sporting chegou à vantagem sem ter feito nada. Estávamos melhor. Fomos forçados a tirar os três centrais, não queríamos manter o 1-0 até ao final. Temos de ter a ambição de melhorar todos os dias. Aqueles que eu sentir que não têm ambição de melhorar, não vão continuar connosco, mas nunca senti nada disso. Quanto mais se erra, mais se aprende", finalizou.

Mais Notícias

Outros conteúdos GMG