FC Porto vence em Moscovo e já tem os oitavos em ponto de mira

Dragões venceram com golos de Marega, Herrera e Corona, e mantiveram a boa tradição de vitórias nas partidas disputadas em Moscovo, num jogo onde mostraram ser muito superiores ao Lokomotiv. Triunfo vale liderança isolada do Grupo D

O FC Porto venceu (3-1) esta quinta-feira o Lokomotiv de Manuel Fernandes e Éder, em Moscovo, e deu um passo importante rumo ao apuramento para os oitavos de final da Liga dos Campeões, já que o empate a zero no outro jogo do Grupo D, entre o Galatasaray e o Schalke, permitiu aos dragões isolarem-se no primeiro lugar. Uma vitória inteiramente justa que espelhou em campo a grande diferença de valor entre os dragões e este Lokomotiv, que continua sem somar pontos nos três jogos já disputados.

A equipa de Sérgio Conceição (apostou em Óliver no onze e deixou Sérgio Oliveira no banco) entrou melhor no jogo. Mas na primeira parte, apesar de ter muito mais posse de bola e dar a ideia de ter o jogo controlado, as melhores oportunidades até pertenceram aos russos. Logo aos nove minutos, Alex Telles fez uma falta na área, mas Casillas defendeu a grande penalidade de Manuel Fernandes.

No espaço de nove minutos, contudo, o FC Porto marcou por duas vezes. Primeiro por Marega (26'), também na conversão de um penálti, e depois por Herrera (35'), de cabeça, após assistência de Corona. Os dragões mostravam uma eficácia de quase 100% e viam premiado o ascendente sobre a equipa de Manuel Fernandes e Éder, que mesmo assim reduziu antes do intervalo por Miranchuk (38').

A segunda parte não podia ter começado melhor para a equipa de Sérgio Conceição, com Corona a concluir da melhor maneira uma assistência de Brahimi. Ficava à vista a diferença de valor entre as duas equipas. Éder ainda colocou a bola no fundo das redes de Casillas, aos 55', mas o lance foi anulado por fora de jogo do avançado português.

Com o jogo controlado, o FC Porto preocupou-se mais em gerir o resultado, mas mesmo assim ainda fez tremer os russos, como num remate de Brahimi, aos 72', que Guilherme defendeu. Tudo ficou mais fácil a partir dos 76', com a expulsão de Kverkvelia. Nesta altura já não estava em campo Manuel Fernandes, que foi substituído aos 66 minutos e deixou o treinador Yuri Semin de mão estendida.

O jogo chegou ao fim sem alterações no resultado, com o FC Porto a manter a boa tradição no histórico de confrontos com equipas russas - em sete jogos, soma cinco vitórias, um empate e uma derrota. Mais do que isso, voltou a sair de Moscovo com um triunfo - foram cinco deslocações, sempre com vitórias (três triunfos diante do CSKA, um frente ao Spartak e esta quarta-feira com o Lokomotiv).

Já a equipa moscovita manteve a má tendência contra adversários portugueses - a única vitória caseira diante de equipas lusas foi há 20 anos, quando bateu o Sp. Braga por 3-1, na extinta Taça das Taças.

Além do primeiro lugar isolado do Grupo D (com sete pontos, mais dois do que Schalke), o triunfo em Moscovo permitiu um encaixe de 2,7 milhões de euros aos cofres da SAD dos dragões (o valor do prémio por cada vitória na fase de grupos). Já a qualificação para os oitavos de final permite arrecadar 9,5 milhões de euros, um objetivo que esta quarta-feira ficou mais perto.

A figura: Jesús Corona

Foi o melhor jogador em campo. O extremo mexicano do FC Porto encheu o campo, foi irreverente e puxou sempre a equipa para o ataque. Foi fundamental no triunfo ao assistir Herrera no segundo golo dos dragões, ainda na primeira parte, e ao apontar o 3-1 final numa excelente finalização, ajudando assim a garantir os três pontos para o FC Porto, que lidera o grupo D isolado. Saiu aos 69 minutos, dando o seu lugar a André Pereira, com a certeza do dever cumprido.

Ficha de jogo

Jogo no Estádio do Lokomotiv, em Moscovo.

Árbitro: Bobby Madden (Escócia).

Assistência: Cerca de 20.000 espetadores.

Lokomotiv Moscovo: Guilherme, Ignatyev, Kverkvelia, Krychowiak, Höwedes, Denisov, Barinov, Manuel Fernandes (Zhemaletdinov, 66), Anton Miranchuk, Aleksei Miranchuk e Éder (Lysov, 81).

Treinador: Yuri Semin.

FC Porto: Casillas, Maxi Pereira, Éder Militão, Felipe, Alex Telles, Danilo, Óliver (Bazoer, 83), Herrera (Adrián López, 82), Corona (André Pereira, 69), Brahimi e Marega.

Treinador: Sérgio Conceição.

Marcadores: 0-1, Marega, 26 minutos (grande penalidade); 0-2, Herrera, 35; 1-2, Anton Miranchuk, 38 e 1-3, Corona, 47.

Ação disciplinar: Cartão amarelo para Éder (25), Óliver (28), Barinov (50), Corona (59) e Ignatyev (84). Cartão vermelho direto para Kverkvelia (76).

Exclusivos

Premium

Alentejo

Clínicos gerais mantêm a urgência de pediatria aberta. "É como ir ao mecânico ali à igreja"

No hospital de Santiago do Cacém só há um pediatra no quadro e em idade de reforma. As urgências são asseguradas por este, um tarefeiro, clínicos gerais e médicos sem especialidade. Quando não estão, os doentes têm de fazer cem quilómetros para se dirigirem a outra unidade de saúde. O Alentejo é a região do país com menos pediatras, 38, segundo dados do ministério da Saúde, que desde o início do ano já gastou mais de 800 mil euros em tarefeiros para a pediatria.