Dérbi sem Bas Dost? Holandês tem problema muscular

Avançado fez uma ecografia que revelou lesão na coxa direita, informou o Sporting

Más notícias para José Peseiro a quatro dias do dérbi com o Benfica, na Luz. Bas Dost, o grande goleador leonino das últimas épocas, não treinou e tem uma problema muscular na coxa direita, o que o deve afastar do jogo com o eterno rival.

Bas Dost fez apenas treino de ginásio e obriga assim o técnico a pensar noutras soluções. Recorde-se que o ponta de lança holandês saiu lesionado ao intervalo do Sporting-V. Setúbal e, no final da partida, Peseiro revelou que ele tinha apresentado queixas já nos exercícios de aquecimento.

Quem já treinou esta terça-feira com os novos colegas foi o reforço Abdoulaye Diaby, o avançado maliano contratado ao Club Brugge.

Também o jovem Miguel Luís e o experiente brasileiro Bruno César, que estavam em recuperação de lesões, trabalharam no relvado com os restantes elementos do grupo.

Exclusivos

Premium

Nuno Severiano Teixeira

"O soldado Milhões é um símbolo da capacidade heroica" portuguesa

Entrevista a Nuno Severiano Teixeira, professor catedrático na Universidade Nova de Lisboa e antigo ministro da Defesa. O autor de The Portuguese at War, um livro agora editado exclusivamente em Inglaterra a pedido da Sussex Academic Press, fala da história militar do país e da evolução tremenda das nossas Forças Armadas desde a chegada da democracia.

Premium

Ferreira Fernandes

A angústia de um espanhol no momento do referendo

Fernando Rosales, vou começar a inventá-lo, nasceu em Saucelle, numa margem do rio Douro. Se fosse na outra, seria português. Assim, é espanhol. Prossigo a invenção, verdadeira: era garoto, os seus pais levaram-no de férias a Barcelona. Foram ver um parque. Logo ficou com um daqueles nomes que se transformam no trenó Rosebud das nossas vidas: Parque Güell. Na verdade, saberia só mais tarde, era Barcelona, toda ela.

Premium

Maria Antónia de Almeida Santos

Dos pobres também reza a história

Já era tempo de a humanidade começar a atuar sem ideias preconcebidas sobre como erradicar a pobreza. A atribuição do Prémio Nobel da Economia esta semana a Esther Duflo, ao seu marido Abhijit Vinaayak Banerjee e a Michael Kremer, pela sua abordagem para reduzir a pobreza global, parece indicar que estamos finalmente nesse caminho. Logo à partida, esta escolha reforça a noção de que a pobreza é mesmo um problema global e que deve ser assumido como tal. Em seguida, ilustra a validade do experimentalismo na abordagem que se quer cada vez mais científica às questões económico-sociais. Por último, pela análise que os laureados têm feito de questões específicas e precisas, temos a demonstração da importância das políticas económico-financeiras orientadas para as pessoas.