Lágrimas, cartas e Vanda. Cristina faz Vieira chorar mas não lhe arranca nome do treinador

Presidente do Benfica foi o convidado especial do primeiro programa da apresentadora na SIC e não conteve as lágrimas quando veio à conversa um boné que o pai lhe deixou

Luís Filipe Vieira não resistiu. Anunciado como convidado principal do primeiro programa de Cristina Ferreira nas manhãs da SIC, o presidente do Benfica não conseguiu conter as lágrimas quando a apresentadora lhe lembrou a figura paterna e, sobretudo, um boné especial que Vieira guarda do pai. Aí, o líder do clube da Luz precisou mesmo de socorrer-se do lenço para travar as lágrimas e pedir: "Cristina, você não faça isso. Faça-me esse favor..."

A apresentadora fez-lhe a vontade, não insistiu no tema. "O boné há de ir comigo para o caixão", acrescentou apenas o presidente do Benfica, no único momento em que vacilou em frente às câmaras do novo programa de Cristina Ferreira.

Ao que Vieira resistiu, sempre, foi à insistência da entrevistadora em tentar saber o nome do futuro treinador do Benfica. Cristina lançou os nomes de José Mourinho, Jorge Jesus, procurou validar a possibilidade do interino Bruno Lage se tornar opção definitiva, mas a tudo isso o líder encarnado respondeu apenas com uma promessa: "Na próxima semana vai saber o que acontece."

Cristina Ferreira deixou o seu convidado principal para o fim do programa. Até lá, havia uma emissão de quase três horas para manter em crescendo.

A expectativa era enorme em redor da estreia da mais popular apresentadora de televisão na sua nova estação, SIC, depois da badalada transferência desde a TVI, onde passou 16 anos e ajudou a catapultar a estação de Queluz para a liderança das audiências nas manhãs, ao lado de Manuel Luís Goucha.

Agora, a missão de Cristina Ferreira passa por resgatar essa liderança das audiências matinais para a SIC. E a apresentadora apostou no presidente do Benfica, numa altura sensível na vida do clube, como maior atração do seu primeiro programa, "O Programa da Cristina".

Pouco depois das 10h, Cristina Ferreira surgiu no ecrã com novo visual, de cabelo curto, e a mostrar a sua nova casa. O conceito de uma casa nova foi seguido à risca no cenário, que recriou o interior de uma habitação, onde a apresentadora recebe os convidados e por cujas divisões se distribui o programa.

O telefonema presidencial

Luís Filipe Vieira só tocou à campainha (literalmente) na última das três horas de programa. Antes disso, apresentaram-se os humoristas que vão acompanhar as manhãs de Cristina Ferreira - António Raminhos, Joana Marques e Madalena Abecassis -, ficou-se a conhecer a D. Micaela, que aos 82 anos ainda distribui pequenos-almoços pelas oficinas de Sacavém, um médico (Almeida Nunes) falou da importância do bidé numa casa de banho, houve também emoções fortes proporcionadas pela conversa com a atriz Custódia Gallego, que falou pela primeira vez da morte do filho, uma reportagem de Cristina Ferreira sobre a tradição das mulheres de Castro Laboreiro, em Viana do Castelo, um espaço de análise criminal dedicado aos oito anos da morte de Carlos Castro e ao futuro de Renato Seabra, que continua preso pelo crime nos EUA e até um telefonema presidencial, a começar a segunda parte.

E o "presidencial" aqui não se refere ao presidente do Benfica, mas sim mesmo ao presidente da República. É verdade. A estreia de Cristina Ferreira na SIC teve direito até a telefonema de Marcelo Rebelo de Sousa a desejar felicidades à nova vida da apresentadora.

Só depois, para o fim, como mandam as regras do engagement televisivo, chegou o convidado anunciado. "Acho lindo, o Luís Filipe Vieira aqui no meu vídeo-porteiro. Então não veio de fato de treino?", recebeu-o Cristina Ferreira.

Num programa para "dar a conhecer o lado pessoal" dos entrevistados, como frisou a apresentadora, o presidente do Benfica falou então das suas origens no Bairro das Furnas, como filho único; da escola que "até à 4.ª classe correu bem", mas se ficou depois pelo primeiro ano do antigo ciclo (atual 5.º ano); da forma como conheceu Vanda, graças aos telefonemas de cobranças que fazia para a empresa onde na altura trabalhava a mulher com quem é casado há 49 anos, mãe dos seus dois filhos, e sem a qual, disse, não consegue imaginar-se a viver; até chegar ao momento em que Cristina Ferreira fez Luís Filipe Vieira chorar, ao falar do pai que morreu em 2007.

"Tenho a certeza que ele está orgulhoso", disse, sobre o que pensaria o pai do trabalho feito por Vieira no Benfica ao longo dos últimos 18 anos.

Vieira magoado com as críticas

A apresentadora dedicou então a última parte do programa à atualidade do Benfica, lembrando a contestação ao presidente encarnado durante o último jogo com o Rio Ave, no qual alguns adeptos referiram que só faltava a saída de Vieira, depois da demissão do treinador Rui Vitória.

"Magoou? Magoou. Logicamente magoou. Não tenho que dar provas da obra que foi feita ao longo dos últimos anos", admitiu o convidado. "Não posso ligar aos insultos. Corrupto nunca fui na minha vida. Também nunca desviei dinheiro de ninguém. Agora, num cargo destes há sempre pessoas que dizem de cobras e lagartos", acrescentou Vieira.

Cristina Ferreira lançou-se então ao ataque para tentar descobrir o novo treinador do Benfica. Aproveitando a paixão confessa de Vieira pelos jogos de cartas, desafiou o presidente encarnado para jogar à bisca. "Se eu ganhar diz-me quem é o treinador", tentou. Mas Luís Filipe Vieira mostrou-se mais experiente no jogo e na fuga ao cerco das perguntas lançadas para a mesa.

O líder benfiquista aproveitou a primeira pergunta sobre Rui Vitória para garantir que "os adeptos ainda vão sentir muitas saudades dele" e virou-se para a câmara para mandar "um abraço ao Rui". "Estamos juntos", disse, "olhos nos olhos".

"Mourinho? Se disser que sim, amanhã vem logo"

Depois, Cristina Ferreira lançou os nomes de José Mourinho, Jorge Jesus, Bruno Lage, mas nada. "Só para a semana", foi repetindo Vieira.

Mourinho? "Sou amigo dele." "Não falei com José Mourinho nenhum." "Quem não gostava do Mourinho? Se ele disser que sim, amanhã vem logo. Dinheiro não é problema nesta altura no Benfica."

Jesus? "É meu amigo". Não pode jogar às cartas com ele nesta altura, atirou Cristina. "Ele não sabe nada disto de jogar às cartas, é mais caminhadas..." Pode um dia voltar? "Isso o futuro não sei"

E Bruno Lage, está só de passagem? "Não, não. No Benfica não há passagens. Para a semana vai saber o que acontece", fechou-se Vieira. E pouco mais se pôde saber. "Não há treinador. Mas vai haver. Não sou eu nem o Rui Costa que vamos para lá", garantiu o presidente do Benfica, que no final recebeu um presente da apresentadora: um fato de treino com as iniciais CF que Vieira prometeu levar vestido ao programa "da próxima vez".

Mais Notícias

Outros conteúdos GMG