Criança de 12 anos detida por racismo contra jogador de futebol

Wilfried Zaha, do Crystal Palace, denunciou o caso

O futebolista costa-marfinense Wilfried Zaha, do Crystal Palace, revelou este domingo que recebeu ameaças racistas através das redes sociais, tendo a polícia inglesa já avançado com a detenção de uma criança de 12 anos, presumível autora das ofensas.

Zaha mostrou nas redes sociais várias capturas de ecrã com as mensagens que recebeu no sábado na sua conta do Instagram, nas quais era ameaçado por um desconhecido.

"É melhor para ti que não marques [golo] amanhã [hoje], seu imbecil preto, ou irei, à tua casa, vestido como um fantasma", escreveu o agressor, acompanhando as mensagens com várias imagens do movimento supremacista norte-americano Ku Klux Klan.

Zaha foi este domingo titular na derrota do Crystal Palace no terreno do Aston Villa (2-0).

O departamento da polícia de West Midlands informou já, através do Twitter, que deteve um rapaz de 12 anos que é suspeito de ser o autor das mensagens.

Este incidente surge poucos dias depois de a Premier League ter posto em marcha um sistema de proteção para os futebolistas e os seus familiares para quando recebam insultos e ameaças através das redes sociais. "Isto é uma desgraça absoluta e não devia acontecer. Estamos contigo, Wilf, e com qualquer um que tenha de sofrer um abuso deste género", lançou em comunicado o Crystal Palace.

Mais Notícias

Outros conteúdos GMG