Cadáver de ex-esquiadora olímpica espanhola encontrado

Blanca Fernández Ochoa, bronze nos Jogos Olímpicos de Inverno em 1992, estava desaparecida desde o dia 24 de agosto.

Após 12 dias desaparecida e uma longa maratona de buscas ao largo de 3500 hectares, a polícia espanhola encontrou esta quarta-feira o cadáver da ex-esquiadora espanhola Blanca Fernández Ochoa, que estava desaparecida desde o dia 24 de agosto.

Foi por volta das 13.30 (12.30 em Lisboa) que um cão, um pastor alemão que seguia com um guarda civil fora de serviço, encontrou o corpo na área do pico da Peñota de Cercedilla, a norte de Madrid. De acordo com a imprensa espanhola, o estado de decomposição do corpo indica que a esquiadora estava morta há mais de uma semana.

A polícia e as autoridades vão agora começar a investigar as causas da morte, mas tudo indica que a atleta tenha sofrido um acidente quando fazia um passeio por uma montanha, já que o corpo apresentava um grande golpe na cabeça e várias escoriações.

Centenas de pessoas, a maior parte delas voluntárias, procuravam há vários dias o corpo da ex-esquiadora, medalhada nos Jogos Olímpicos de Inverno, desde domingo, dia em que a sua viatura foi encontrada.

Nascida em 1963, Blanca Fernández Ochoa foi a melhor esquiadora espanhola de sempre, tendo-se destacado na especialidade de esqui alpino feminino.

O momento mais alto da sua carreira foi em 1992 quando ganhou a medalha de bronze nos Jogos Olímpicos de Inverno de Albertville, em França.

Diversas individualidades do mundo do desporto, mas também políticos de todos os quadrantes, lamentaram a morte de Blanca Fernández Ochoa.

A ex-desportista era irmã de Francisco Fernández Ochoa, o único espanhol que conseguiu uma medalha de ouro nuns Jogos Olímpicos de Inverno - Sapporo (Japão) em 1972.

Depois de terminar a sua carreira esportiva, aos 29 anos, Blanca interessou-se por outros desportos, como o golfe, e deu os primeiros passos em programas televisiovs de reality show. Nos últimos tempos, ganhava a vida como personal trainer em casa, tal como sua irmã Lola, embora a sua situação económica fosse "muito precária", segundo fontes da investigação. "Ele não tinha cartão de crédito e só tinha uma conta com zero euros ", disse o cunhado, Adrián Federighi.

Exclusivos