Bruno Lage: "A nossa exigência era de fazer uma competição diferente"

Treinador do Benfica analisou a derrota em Lyon (3-1), para a Liga dos Campeões.

"Ferro está estável, está bem. Teve uma pequena fratura no nariz, mas está tudo ok. Depois do golo, a ideia era alterar, mas com a substituição cedo, com a equipa a vir de uma sequência complicada e com muita gente a ter pouco tempo de treino, com dois, três jogos em poucos dias, não foi possível", justificou Bruno Lage, após a derrota desta terça-feira, com o Lyon (3-1).

André Almeida e Pizzi ficaram no banco. "A ideia era dar frescura em termos defensivos no corredor direito, porque sabíamos que íamos ter situações de um contra um e o André passou algumas dificuldades nessas situações. A entrada do Gedson era para provocar entradas em profundidade. Foi com a intenção de o Gedson e o Vinícius empurrarem a linha defensiva do Lyon para depois termos espaço para jogar com Gabriel, Cervi e o próprio Chiquinho. Um golo logo a abrir deitou por terra a nossa estratégia", defendeu o técnico do Benfica na flash interview à TVI.

Com a derrota, o apuramento para os oitavos de final fica muito difícil. O Benfica é último do grupo G com três pontos em quatro jogos. "Foge ao que pretendíamos. A nossa exigência era de fazer uma competição diferente. Resta-nos continuar a trabalhar. Vencer o Santa Clara, que vai ser um jogo difícil. Quando voltarmos a esta competição, com quatro jogos disputados e três pontos, resta-nos vencer o jogo e ver como fica a classificação nesse momento", disse Bruno Lage resignado com as contas.

Exclusivos