Bruno Fernandes: "Contestação à direção? Não somos surdos nem cegos"

Capitão leonino analisou a vitória e a exibição do Sporting esta quinta-feira sobre o Rosenborg, em partida da 3.ª jornada da fase de grupos da Liga Europa, e assumiu que os jogadores não são imunes à contestação de que a direção tem sido alvo

O capitão do Sporting, Bruno Fernandes, disse que a vitória desta quinta-feira sobre o Rosenborg (1-0) em Alvalade para a 3.ª jornada da fase de grupos da Liga Europa "não foi uma vitória sofrida". "Estivemos sempre por cima do jogo e criámos oportunidades flagrantes. No global, a equipa fez um grande jogo", afirmou o médio internacional português.

O craque dos verde e brancos diz que a equipa está à tentar reencontrar a confiança perdida e diz que para tal é fundamental ter bola. "É um jogo de paciência", frisou, abordando ainda a eliminação precoce na Taça de Portugal, aos pés do Alverca: "Não há feridas a lamber, a Taça de Portugal tem um significado especial e a eliminação mexeu com o balneário."

Sobre a contestação de que a direção tem sido alvo, Bruno Fernandes assume que os jogadores têm ouvido e visto o que se tem passado, mas que ficam à margem. "Não somos surdos nem cegos, mas são coisas que não nos dizem respeito. Quanto melhor o nosso futebol, mais pessoas vêm ao estádio" , rematou.

Emanuel Ferro: "Jogar bem ou jogar mal é sempre subjetivo"

Emanuel Ferro, adjunto de Silas na prática mas treinador principal do Sporting na ficha de jogo, considerou este um "jogo difícil, frente a uma equipa competitiva". "Foi uma vitória arrancada a ferros, mas foi muito importante para nós. Ganhar é sempre importante. Jogar bem ou jogar mal é sempre subjetivo aos olhos de cada um. Mas há coisas a melhorar. Temos vindo a falar muito de sistemas e de dinâmicas a desenvolver", assumiu o técnico.

Sobre o jogo de domingo com o V. Guimarães, diz que a expectativa é ver a equipa a "melhorar cada vez mais" para ser "mais dominadora".

Mais Notícias

Outros conteúdos GMG