Bruno Fernandes e as portas partidas no Bessa: "Estava frustrado, estava chateado"

Jogador não se alongou na explicação após a derrota com o PSV (3-2) em jogo da primeira jornada da Liga Europa.

Para Bruno Fernandes nunca é bom começar a perder. "O golo na segunda parte foi machadada final. Ficou uma distância ampla no marcador e com pouco tempo para recuperar. Na primeira parte é mau estar a perder por dois, mas tínhamos tempo. Nunca é bom começar a perder, mas acredito que seríamos capazes de recuperar. É inaceitável sofrermos aquele terceiro golo. É um grande erro porque a bola passa toda a área. Temos de corrigir estas coisas", disse o capitão do Sporting, após a derrota com o PSV na Liga Europa (3-2).

Já sobre a expulsão de que foi alvo no Estádio do Bessa, nos instantes finais do empate com o Boavista (1-1), garante que mais tarde irá "esclarecer" o sucedido nos balneários, onde pontapeou duas portas mais tarde. "Foi a minha primeira expulsão desde que estou no Sporting, já tinha sido uma vez expulso em Itália, mas não nestas condições. Obviamente deixa marcas. Se sou massacrado? As faltas existem, mas também são para ser marcadas. Os jogadores têm de ser amarelados. Houve uma diferença nessa questão dos amarelos. Não posso fazer nada neste momento, fui expulso, foi a decisão do árbitro, tenho de aceitar", começou por dizer, à SIC, rematando: "O que aconteceu mais tarde depois falarei disso, mas a seu tempo as coisas vão ser esclarecidas."

Já na zona mista esclareceu que as imagens apenas mostram "frustração" e não falta de respeito pelo clube que o formou. "Como é que essas imagens vieram a público, não comento, já toda a gente sabe como funciona o futebol português. A imagem negativa que tentam passar de um jogador para fora, principalmente quando esse jogador é do Sporting. Quanto a estas imagens e estes episódios que não deveriam acontecer, aí faço um mea culpa. Acontece. A única coisa que tenho a dizer sobre isso é que estava frustrado, estava chateado", disse o jogador leonino.

"Acho que não fui justamente expulso pelo contexto do jogo, mas há uma coisa que quero deixar bem clara. Há muita gente que não tem noção daquilo que está a dizer. Nunca algum ato meu feito em qualquer momento tem alguma coisa contra o Boavista. Isso é impossível. Sou o primeiro a defender o Boavista. Sou o único jogador da formação que fala do Boavista. Sou o único jogador que tem respeito pelo Boavista. Em momento algum fiz alguma coisa para prejudicar o Boavista", destacou Bruno Fernandes

Leonel Pontes: "É urgente vencer"

"O que fez a diferença foi a eficácia, que não conseguimos ter. O adversário teve oportunidades, mas nós tivemos várias para reduzir mais cedo e com tempo para encurtar o resultado. A equipa sentiu-se cómoda no meio-campo adversário e numa bola nas costas não houve cobertura devida e eles fazem o 1-0. Depois o 2-0 a equipa reagiu e fazemos o 2-1. Nas retificações ao intervalo, preparámos a equipa para empatar, mas o mau posicionamento de um jogador fez com que a bola entrasse onde não devia entrar e numa carambola o adversário fez golo. A equipa reagiu e podia ter feito o 3-3, é verdade que adversário podia ter feito o 4-1 ou o 4-2, mas tivemos ocasiões também. Precisamos de defender melhor. Eles aproveitaram as costas dos nossos centrais, é verdade que sofremos golos, mas há aspetos em que estamos melhores e temos de melhorar o processo defensivo. É urgente vencer, estabilizar do ponto de vista emocional e claro que vamos para o próximo jogo com determinação para ganhar", disse o treinador do Sporting, Leonel Pontes, em declarações à Sport TV.

Questionado sobre Pedro Mendes, o jovem avançado que entrou e marcou um golo, respondeu: "É um jogador com alguma imprevisibilidade e é natural que pelas suas características podia fazer falta em alguns momentos da época. Aproveitou a oportunidade, fez o golo e acredito que ele está feliz."

Já o próprio Pedro Mendes não cabia em si de contente: "Foi uma estreia de sonho, entrar e marcar é muito bom, foi de arrepiar. A única pena foi não termos conseguido ganhar o jogo ou, no mínimo, pontuar."

Mais Notícias

Outros conteúdos GMG