Benfica-Sp. Braga. Um duelo de invencíveis para ver quem é melhor

O Estádio da Tapadinha é o palco do primeiro grande teste à equipa de futebol feminino do Benfica, que tem acumulado goleadas na II Divisão. As bracarenses lideram o campeonato da I Divisão. As duas equipas lutam para chegar à final da Taça de Portugal, troféu que sonham conquistar.

Quem são as mais fortes? É esta a dúvida que começará a ser desfeita este domingo, a partir das 15.00 horas, no Estádio da Tapadinha, onde Benfica e Sp. Braga, duas equipas invencíveis, vão começar a discutir um lugar na final da Taça de Portugal de futebol feminino.

A primeira época das encarnadas está a ser esmagador, tendo em conta o facto de terem goleado todas as adversárias que encontraram pela frente no campeonato da II Divisão e na Taça, num total de 22 jogos em que só sofreram um golo. Já as bracarenses lideram o campeonato da I Divisão, com três pontos de vantagem sobre as campeãs nacionais do Sporting, e empataram dois jogos ao longo de toda a época, sendo que a primeira igualdade teve sabor a vitória, uma vez que valeu a conquista da Supertaça no desempate por penáltis diante das leoas de Alvalade.

O facto de serem equipas de escalões diferentes não significa que haja uma diferença de qualidade entre as equipas, uma vez que o plantel do Benfica conta com 12 jogadoras internacionais (cinco portuguesas e sete brasileiras), enquanto o do Sp. Braga tem nove atletas que já representaram os seus países (seis portuguesas, uma venezuelana, uma nigeriana e outra camaronesa).

"São duas equipas que têm como objetivo a conquista da Taça de Portugal e considero que, se estivesse na I Divisão, o Benfica estaria a lutar com o Sp. Braga e o Sporting pela conquista do título de campeão", assumiu ao DN a avançada Edite Fernandes, de 39 anos, que representa o Futebol Benfica e é a segunda jogadora mais internacional de sempre por Portugal (132 jogos), que admite ser este "um teste de grau elevado de dificuldade" para o Benfica.

Atenção a Darlene Souza e Vanessa Marques

No relvado da Tapadinha vão estar algumas das melhores jogadoras a atuar em Portugal, das quais Edite Fernandes destaca as goleadoras. A brasileira Darlene Souza contabiliza 95 dos 354 golos marcados pelo Benfica esta temporada, o que leva a internacional portuguesa a dizer que se trata de uma atleta "com um nível médio superior" no nosso país, não sendo por acaso que "costuma fazer parte da seleção brasileira", que é a oitava melhor seleção do ranking da FIFA.

Ainda assim, a ponta-de-lança encarnada ficou fora da última convocatória, para a qual foram chamadas Tayla e Geyse... "Se foram convocadas é mais um sinal da qualidade que existe no plantel do Benfica. A Geyse, por exemplo, é bastante boa jogadora, tal como a Sílvia Rebelo que é internacional portuguesa", acrescenta.

Já entre as bracarenses, Vanessa Marques, a melhor marcadora da I Divisão com 24 golos (tem mais um na Taça de Portugal), merece todos os elogios de Edite. "Está numa fase muito boa com muitos golos marcados, mas o Sp. Braga tem também jogadoras estrangeiras muito boas, que podem fazer a diferença", sublinha.

Edite Fernandes é uma das jogadoras emblemáticas do futebol feminino português e não tem dúvidas que este Benfica-Sp. Braga será "importante para o desenvolvimento" da modalidade, que está cada vez mais popular. "Tenho notado que se fala mais do futebol feminino nas ruas e nas televisões e isso faz com que as mais novas se motivem e haja cada vez mais gente a praticar", adianta, enaltecendo a "maior facilidade" de as raparigas iniciarem a prática do futebol.

"Antes era difícil encontrar clubes para jogar, agora é mais fácil porque existem mais clubes a terem equipas femininas", acrescenta, admitindo que a adesão dos principais emblemas nacionais "tem sido muito importante para o crescimento da modalidade". "Temos três clubes grandes como o Sporting, Sp. Braga e Benfica, mas também um histórico como o Boavista, mas acredito que outros vão aparecer", vaticina.

Benfiquistas assumem desejo de conquistar a Taça

A médio Rilany Silva admitiu esta semana, em entrevista à BTV, que esta partida com o Sp. Braga "será o oposto de tudo aquilo que a equipa do Benfica tem vivido na II Divisão". "Não tirando o mérito às equipas deste escalão, o SC Braga tem uma qualidade muito acima. Temos de ter muito respeito, muito cuidado, os treinos durante a semana foram direcionados para os pontos fortes delas e eu tenho a certeza de que cada uma já sabe exatamente o que tem de fazer", admitiu a internacional brasileira, acrescentando que o nível de concentração das encarnadas "terá de ser muito maior do que em todos os outros jogos".

Rilany deixa bem claro que o "grande objetivo do Benfica é a Taça de Portugal". "Temos um plantel suficientemente forte para conseguirmos o troféu, mas temos de mostrá-lo dentro de campo", assumiu, mostrando-se convicta de que "será um grande jogo, que vai encher os olhos de quem estiver no estádio".

Por sua vez, o treinador João Marques disse ao site do Benfica que este "é um desafio com significado diferente" para a sua equipa, "pois dá acesso a uma final". Nesse sentido, lembrou que "o Sp. Braga é uma equipa com muita qualidade e uma das melhores do futebol português", como tal deixou a certeza que as encarnadas têm de "estar ao melhor nível" para conseguir vencer. "São os primeiros 90 minutos para chegar a uma final", disse, apelando à presença dos adeptos na Tapadinha: "Juntos vamos estar mais perto daquilo que nós queremos que é a vitória."

Bracarenses querem resolver eliminatória em casa

Do lado do Sp. Braga, o treinador Miguel Santos admitiu que o sorteio ditou o adversário "mais forte" destas meias-finais da Taça de Portugal. "Estudámos bem o Benfica, sabemos os pontos fortes e fracos, e, independentemente do que der o primeiro jogo, acredito que a eliminatória será decidida no Estádio 1.º de Maio", começou por dizer ao site dos bracarenses, acrescentando que a equipa tem o objetivo bem definido nos dois jogos com as encarnadas: "Queremos ganhar os dois jogos e passar para a final."

Miguel Santos enalteceu ainda o "percurso muito bom" da sua equipa esta época na Taça de Portugal: "Temos jogado partidas com elevado grau de dificuldade, na primeira eliminatória jogamos com a Ovarense, logo uma equipa da primeira, depois o Sporting em casa, depois o Estoril fora, e agora o Benfica, a duas mãos. Tem sido um percurso sempre com grande grau de dificuldade, mas nós temos tido a capacidade de ganhar todos os jogos, e com o Benfica queremos manter esse registo."

É bom lembrar que as bracarenses já venceram a Supertaça esta época e procuram pela primeira vez conquistar a Taça de Portugal, mas também o título de campeão nacional.

Exclusivos