Benfica mantém vantagem sobre o FC Porto. E pode haver campeão na próxima jornada

Os encarnados continuam dois pontos à frente dos dragões. E até podem festejar no próximo domingo se vencerem em Vila do Conde e os dragões escorregarem na Madeira com o Nacional

O Benfica ficou este sábado, depois de golear o Portimonense por 5-1, a quatro pontos de conquistar o seu 37.º título da campeão nacional. O que até pode acontecer já no próximo domingo (12 de maio), isto se os encarnados fizerem um resultado melhor que o FC Porto.

Os dragões, que este sábado também golearam o Desp. Aves por 4-0, jogam primeiro (no domingo às 17.30 horas) na Madeira com o Nacional e em caso de empate, os encarnados fazem a festa se vencerem o Rio Ave em Vila do Conde (jogo com início às 20.00 horas). No caso dos portistas perderem, basta o empate à equipa de Bruno Lage para se sagrar campeã.

Com as vitória dos dois rivais, manter-se-á a vantagem de dois pontos do Benfica e a discussão do título fica adiada para a última jornada, na qual os encarnados recebem o Santa Clara e o FC Porto joga em casa com o Sporting.

No entanto, a próxima ronda é provavelmente a da grande esperança dos dragões em chegarem ao primeiro lugar. É que o Benfica joga com a última equipa a roubar pontos aos dragões, mais concretamente na semana passada quando arrancou um empate 2-2 já nos instantes finais. Assim sendo, Sérgio Conceição e companhia estarão a torcer por um triunfo vilacondense, pois só assim poderão ultrapassar o rival se vencerem o Nacional.

O empate do Benfica em Vila do Conde e a vitória do FC Porto na Madeira deixará tudo para ser decidido na última ronda, uma vez que as equipas ficariam empatadas em pontos, mas os encarnados teriam vantagem no confronto direto com os dragões, mercê das duas vitórias nos jogos entre ambos.

Sporting segura o 3.º lugar sem jogar

A jornada deste fim de semana clarificou já que o Sporting já não tem matematicamente hipóteses de chegar ao título, embora seja certo que já não ficará abaixo do terceiro lugar, depois da derrota do Sp. Braga, este sábado em casa do Marítimo. Os bracarenses têm também a sua situação definida e ficarão na quarta posição.

No entanto, o Sporting ainda tem uma ténue esperança em chegar ao segundo lugar, que dá acesso à 3.ª pré-eliminatóra da Liga dos Campeões na próxima época. Contudo, as contas são complicadas, pois além de ter de vencer este domingo na visita ao Belenenses SAD, na próxima jornada tem de vencer o Tondela em Alvalade e esperar que o FC Porto perca com o Nacional. Se isso acontecesse iria decidir tudo na última jornada no Dragão, onde uma vitória colocaria a equipa de Marcel Keizer no segundo lugar.

Oito candidatos para duas vagas de despromoção

No que diz respeito às contas da despromoção, já se sabe que o Feirense está condenado, faltando assim conhecer as outras duas equipas que vão descer à II Liga.

O Marítimo já se livrou desse pesadelo depois de ter vencido o Sp. Braga, restando oito equipas para as tais duas vagas que restam. O Nacional é quem está com maiores dificuldades em salvar-se, tendo este domingo um jogo decisivo em Guimarães.

Já o Desp. Chaves largou provisoriamente o antepenúltimo lugar com o empate nos instantes finais em casa do Feirense, ficando com um ponto de vantagem sobre o Tondela que hoje recebe o Santa Clara.

De resto, V. Setúbal, Boavista, Portimonense, Desp. Aves e Santa Clara são as outas equipas que ainda não podem estar descansadas.

Exclusivos

Premium

Catarina Carvalho

O bom trabalho do José Mário Branco 

Foram três serões de espanto. Assisti à gravação do disco Sempre, de Katia Guerreiro, que foi produzido por José Mário Branco com a consultadoria da mulher, Manuela de Freitas. Foi há cerca de um ano. Assisti a tudo e o objetivo era descrevê-lo numa reportagem que havia de fazer capa de uma das novas edições do Diário de Notícias, nessa altura em preparação, em maio de 2018. Mas, na verdade, aquilo que tive foi uma experiência de vida, daquelas que constituem marcos de existência.

Premium

Marisa Matias

Baralhar e dar de novo

Na próxima semana irá finalmente a votos a Comissão Von der Leyen. Depois de propostas de nomes rejeitadas, depois de várias controvérsias associadas aos novos portfólios apresentados pela presidente eleita, finalizou-se o processo sem, contudo, eliminar a ameaça de conflitos de interesses ou mudar significativamente os portfólios. Nas contas finais, parece que tudo não passou de um jogo de equilíbrios partidários, muito longe dos interesses dos cidadãos.