Bayern regressa às vitórias e Dortmund reforça liderança

Adversário do Benfica na Liga dos Campeões, com Renato Sanches como suplente utilizado, venceu este sábado no terreno do Wolfsburgo (3-1)

Após quatro jogos sem vencer, três deles para a liga alemã, o Bayern Munique regressou este sábado às vitórias ao triunfar no terreno do Wolfsburgo por 3-1, em partida da 8.ª jornada do campeonato.

Dois golos de Lewandowski, aos 30 e 48 minutos, deram vantagem aos bávaros. Entretanto, Robben foi expulso (57') e Weghorts (63') reduziu para os da casa, mas o antigo médio portista James Rodríguez sentenciou o resultado aos 72 minutos.

Já com o resultado em 3-1, Renato Sanches entrou aos 84 minutos para o lugar de James.

Com esta vitória, a formação orientada por Niko Kovac isolou-se no segundo lugar, com 16 pontos, a quatro do líder Borussia Dortmund, e mais um do que o Leipzig de Bruma, que não saiu do banco no empate a zero no terreno do Augsburgo. Borussia M'Gladbach, Werder Bremen e Hertha Berlim estão na perseguição, com 14 pontos, mas menos um jogo.

O líder Dortmund, sem Raphael Guerreiro, justificou o primeiro lugar ao impor uma goleada no campo do Estugarda (4-0). Sancho (3'), Reus (23'), Paco Alcácer (25') e Philipp (85') apontaram os golos.

Exclusivos

Premium

EUA

Elizabeth Warren tem um plano

Donald Trump continua com níveis baixos de aprovação nacional, mas capacidade muito elevada de manter a fidelidade republicana. A oportunidade para travar a reeleição do mais bizarro presidente que a história recente da América revelou existe: entre 55% e 60% dos eleitores garantem que Trump não merece segundo mandato. A chave está em saber se os democratas vão ser capazes de mobilizar para as urnas essa maioria anti-Trump que, para já, é só virtual. Em tempos normais, o centrismo experiente de Joe Biden seria a escolha mais avisada. Mas os EUA não vivem tempos normais. Kennedy apontou para a Lua e alimentava o "sonho americano". Obama oferecia a garantia de que ainda era possível acreditar nisso (yes we can). Elizabeth Warren pode não ter ambições tão inspiradoras - mas tem um plano. E esse plano da senadora corajosa e frontal do Massachusetts pode mesmo ser a maior ameaça a Donald Trump.