Autoridades francesas copiaram ficheiros do hacker Rui Pinto

A revista alemã Der Spiegel revela que a operação decorreu na semana passada em Budapeste, tendo sido feita por receio que os documentos fossem destruídos pela justiça portuguesa.

As autoridades de investigação francesas copiaram alguns ficheiros que o hacker Rui Pinto tinha armazenado, de acordo com uma notícia avançada esta sexta-feira pela revista alemã Der Spiegel, na sua edição online.

A cópia desses ficheiros, cerca de 26 terabytes de dados, foi realizada ainda antes de o pirata informático português ter sido extraditado da Hungria para Portugal e, segundo a mesma notícia, foi feita na semana passada em Budapeste e contou com a colaboração das autoridades húngaras.

Os franceses atuaram de forma muito rápida com o objetivo de usarem a informação alegadamente descarregada por Rui Pinto na investigação de crimes relacionados com o futebol. Uma atuação que, ainda segundo a Der Spiegel, procurou antecipar o envio dos documentos para Portugal, com o receio de que a justiça portuguesa proceda a destruição desse material, denominado de Football Leaks.

A Der Spiegel revela que Rui Pinto tinha apenas libertado 3,4 de 26 terabytes de documentos, o que corresponde a mais de 70 milhões de documentos, que já deram origem a mais de 800 notícias, algumas das quais relacionadas com casos de fuga ao fisco envolvendo jogadores de futebol, entre os quais Cristiano Ronaldo.

Rui Pinto, de 30 anos, que chegou no final da semana passada a Lisboa, encontra-se detido preventivamente, estando indiciado por seis crimes: dois de acesso ilegítimo, dois de violação de segredo, um de ofensa a pessoa coletiva e outro de extorsão na forma tentada. A medida de coação foi decretada pelo juiz com base na possibilidade de continuação da atividade criminosa, perturbação do inquérito e risco de fuga.

Exclusivos