Atlético Madrid vence em jogo louco e adia festa do Barcelona

Colchoneros receberam e venceram esta quarta-feira o Valencia por 3-2, na 34.ª jornada da liga espanhola. Gonçalo Guedes titular pelos valencianos

O Barcelona podia sagrar-se bicampeão espanhola esta quarta-feira no sofá, mas o Atlético Madrid adiou a festa dos catalães ao receber e vencer o Valencia por 3-2 no Wanda Metropolitano, em partida da 34.ª jornada da liga espanhola.

Os colchoneros nunca estiveram em desvantagem mas viram o adversário empatar o jogo por duas vezes. Logo aos nove minutos, Morata abriu o ativo após cruzamento de Juanfran. Porém, Kevin Gameiro igualou o encontro aos 36 minutos com um golo à antiga equipa. Griezmann voltou a dar vantagem aos homens de Simeone (49'), mas Parejo empatou de grande penalidade já na reta final da partida (77'). Apesar de restar pouco tempo para jogar, os homens da capital espanhola chegaram ao terceiro golo por Angel Correa (81').

Com quatro jornadas por disputar, o Atlético Madrid tem 71 pontos, menos nove que o Barcelona de Nélson Semedo, que tem vantagem no confronto direto. Assim sendo, os catalães sagrar-se-ão campeões se vencerem na receção ao Levante no sábado (19.45). O Valencia, por sua vez, falhou o assalto ao quarto lugar, o último de acesso à Liga dos Campeões, que está na posse do Getafe.

Exclusivos

Premium

Nuno Severiano Teixeira

"O soldado Milhões é um símbolo da capacidade heroica" portuguesa

Entrevista a Nuno Severiano Teixeira, professor catedrático na Universidade Nova de Lisboa e antigo ministro da Defesa. O autor de The Portuguese at War, um livro agora editado exclusivamente em Inglaterra a pedido da Sussex Academic Press, fala da história militar do país e da evolução tremenda das nossas Forças Armadas desde a chegada da democracia.

Premium

Maria Antónia de Almeida Santos

Dos pobres também reza a história

Já era tempo de a humanidade começar a atuar sem ideias preconcebidas sobre como erradicar a pobreza. A atribuição do Prémio Nobel da Economia esta semana a Esther Duflo, ao seu marido Abhijit Vinaayak Banerjee e a Michael Kremer, pela sua abordagem para reduzir a pobreza global, parece indicar que estamos finalmente nesse caminho. Logo à partida, esta escolha reforça a noção de que a pobreza é mesmo um problema global e que deve ser assumido como tal. Em seguida, ilustra a validade do experimentalismo na abordagem que se quer cada vez mais científica às questões económico-sociais. Por último, pela análise que os laureados têm feito de questões específicas e precisas, temos a demonstração da importância das políticas económico-financeiras orientadas para as pessoas.