Cortes no policiamento dos jogos deixam árbitros preocupados

A Associação Portuguesa de Árbitros de Futebol (APAF) manifesta "grande preocupação" e lembra as "mais de cem agressões a árbitros" contabilizadas nos últimos dois anos.

Em comunicado, o organismo reforça a preocupação perante a "surpreendente notícia" de que a Polícia de Segurança Pública prepara a redução de policiamento nos jogos das competições não profissionais. Uma medida​​ que, acredita a APAF, "em nada irá contribuir para melhorar o atual clima que se vive no futebol português, muito pelo contrário".

"É com grande preocupação que tomamos conhecimento de que a direção nacional da Polícia de Segurança Pública (PSP) irá reduzir drasticamente o policiamento na maior parte dos jogos das competições não profissionais", reforça o documento.

Segundo a mesma nota, a violência "em recinto desportivo prolifera pelo país", sendo que contabilizou já "mais de cem agressões a árbitros" nos últimos dois anos, não contando com outras situações, considerando que o policiamento é necessário no futebol de formação e distritais.

"Também não deixa de surpreender o timing escolhido para iniciar a aplicação de uma norma de 2012 [a Lei 216/2012]. A APAF defende que se aguarde pelo final da época em curso, ou pela aprovação da nova legislação que pretende combater os fenómenos de violência associados aos espetáculos e atividades desportivas, que se encontra em discussão na Assembleia da República", acrescentam.

Na opinião deste organismo, a medida poderá contribuir para pôr em causa a prática desportiva, pelo que apresenta "total disponibilidade para colaborar" com a procura de soluções.

Mais Notícias

Outros conteúdos GMG