A lei de Solari na selva merengue: "Para jogar tem de estar em forma"

Treinador do Real Madrid, acossado pelos resultados e pela chegada iminente de novo treinador (Zidane e Mourinho são favoritos), massacra Isco

Na lei da selva que vigora no Santiago Bernabéu, com quezílias entre presidente e capitão, jogadores indisciplinados, resultados paupérrimos do tricampeão europeu, nomes de novos treinadores empilhados pela imprensa, a singela lei de Solari é um massacre. Para Isco, que deixou o estágio quando percebeu que não ia participar na humilhação ante o Ajax (1-4 e eliminação da Champions, vencida quatro vezes nos últimos cinco anos).

"As questões disciplinares resolvemos internamente. Desportivamente, é como sempre, não muda. Para jogar tem de pôr primeiro em forma física e depois competitiva", disparou quando questionado se Isco irá a jogo este domingo em Valladolid (19h45), na 27.ª jornada da Liga. Os merengues seguem no 3.º lugar a 12 pontos do líder Barcelona e a cinco do Atlético de Madrid, que está a jogar em casa com o Leganés. E o Getafe no 4.º lugar com menos seis pontos...

Solari chegou atrasado uma hora em relação à hora marcada para a conferência de imprensa de lançamento do jogo em Valladolid. E a especulação começou logo a avolumar-se na sala de imprensa. Terá havido despedimento? "As coisas que acontecem na intimidade ficam na intimidade. Há coisas que pertencem à conferência de imprensa. A autocrítica não é um exercício pontual que se faz após uma derrota. Isso é outra coisa. É um processo de todos os dias, mais ainda na vitória e com absoluta honestidade. Fácil é encontrar a culpa nos maus momentos. Difícil é encontrar defeitos nos bons momentos", filosofou o treinador do Real Madrid.

Perante a insistência, voltou a falar de desilusão, mas em código para o balneário. "Os que não estiveram à altura do escudo já o sabem, mas através de mim. Isso fica entre nós", vincou.

Ainda a falar para dentro (do balneário), mas com um olho nos adeptos, Solari disse que Sérgio Ramos (castigado, não pode jogar) não deve pedir-lhe autorização, mas que lhe parece bem que "viaje para atuar como capitão". De resto, mantendo o discurso de sempre de que todos estão de passagem pelo clube, projetou o encontro deste domingo. "A nossa obrigação é ir a Valladolid e fazer o melhor que pudermos", sublinhou.

Por fim, uma mensagem aos adeptos: "É um momento triste, mas não é incompatível com o agradecimento e o reconhecimento do orgulho e da honra desta equipa, que foi eliminada da Champions após mil e tal dias. E mesmo com autocrítica, dor e trsiteza, o reconhecimento devemos tê-lo todos".

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG