Tóquio2020. Surto em hotel que acolhe equipa brasileira de judo

Confirmados oito casos positivos de covid-19 entre os funcionários do hotel, onde está instalada a equipa brasileira de judo composta por 30 elementos. Noutro local de estágio, um membro da comitiva de râguebi de sevens da Rússia foi hospitalizado, após testar positivo à covid-19.

Pelo menos oito funcionários de um hotel japonês que hospeda a seleção olímpica brasileira de judo, bem como um membro do 'staff' da deleção de râguebi russa, noutro local, tiveram testes positivos ao novo coronavírus.

A informação foi avançada esta quinta-feira pelas autoridades de saúde do Japão, acrescentando que a delegação brasileira, com cerca de 30 pessoas, foi testada à chegada ao hotel em Hamamatsu, e que nenhum dos funcionários infetados interagiu com a equipa sul-americana.

Uma garantia também dada à agência AFP por Yoshinobu Sawada, responsável para o desporto na região de Hamamatsu, assinalando que apenas os funcionários com testes negativos têm estado em contacto com a equipa brasileira.

O Brasil tem uma das maiores delegações no judo, com 13 atletas, num máximo permitido de 14, falhando apenas o apuramento da campeã olímpica Rafaela Silva (-57 kg), inelegível por estar suspensa por doping.

Atleta russo de râguebi hospitalizado após testar negativo

Noutro local de estágio, em Munakata, no sudoeste do Japão, um membro do 'staff' da equipa de râguebi de 'sevens' da Rússia foi hospitalizado, depois de ter um tido um teste com resultado positivo ao novo coronavírus, confirmou também à AFP um responsável do município.

A delegação, que tem 16 atletas e 10 membros do 'staff', aterrou no sábado em Tóquio e não teve contactos próximos com outras pessoas, estando desde então confinada ao hotel, a aguardar nova ronda de testes, que, casos sejam negativos, permitem o regresso aos treinos na sexta-feira.

Os dois incidentes, no hotel da equipa brasileira de judo, e com a equipa russa de râguebi, acontecem a cerca de uma semana do início dos Jogos Olímpicos de Tóquio2020, a decorrerem entre 23 de julho e 8 de agosto, após o adiamento de um ano devido à pandemia da covid-19.

O maior evento desportivo mundial decorrerá sem público e sob fortes restrições para todos os participantes, atletas, oficiais e jornalistas, com o país em estado de emergência devido à pandemia da covid-19.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG