Tiafoe, o futuro n.º 1 por quem os americanos suspiram?

Filho de imigrantes da Serra Leoa, Frances ganha primeiro título ATP, aos 20 anos. O mais jovem norte-americano a fazê-lo desde Andy Roddick

Desde que o ranking ATP foi criado, em 1973, nenhum país teve tantos números um quanto os Estados Unidos: seis. Nenhum outro tem também tantos vencedores de títulos do Grand Slam na era Open: 51, mais do dobro do segundo (Suécia, 25). No entanto, desde Andy Roddick, em 2003, que os norte-americanos não celebram nem uma coisa nem outra no ténis masculino. Na procura por um talento que possa suceder, por fim, a Roddick, emergiu na última semana uma das maiores esperanças do ténis nos EUA: Frances Tiafoe, que aos 20 anos conseguiu a sua primeira vitória ATP, em Delray Beach, na Florida.

O feito faz de Tiafoe o mais jovem americano a ganhar um título ATP nos últimos 16 anos, desde... Andy Roddick, que em abril de 2002 ganhou em Houston o seu quinto título, com apenas 19 anos. A vitória sobre o alemão Peter Gojowczyk, 6-1 e 6-4, torna Tiafoe também o primeiro tenista nascido em 1998 a conquistar um título ATP e o primeiro convidado (wild card) a ganhar em Delray Beach nos 26 anos de história do torneio. Tudo embrulhado com a maior subida da semana no top 100: 30 lugares, para 61.º.

Frances Tiafoe não é apenas um jovem tenista com imenso potencial. Ele dá corpo também a uma história de vida que reforça o sonho americano: filho de imigrantes africanos, fugidos da sangrenta guerra civil na Serra Leoa a meio da década de 1990, Tiafoe cresceu no meio de um clube de ténis de Maryland que o pai, primeiro, ajudou a construir e no qual ficou depois a trabalhar como vigilante, com direito a habitação no local - na qual Frances viveu com os pais e um irmão gémeo.

Foi aí que o jovem Tiafoe começou a interessar-se pelo ténis, quase clandestinamente, como contou num artigo para a The Players Tribune: "Aproveitava para usar os espaços à noite, quando não estavam ocupados. Jogava com raquetes em segunda mão, contra a parede, a imitar os gestos dos miúdos mais velhos e a imaginar que jogava contra Federer ou Nadal."

Rapidamente Tiafoe começou a fazer notar o seu talento, "adotado" pelo treinador Misha Kouznetsov, e aos 16 anos foi notícia por receber um wild card para o seu primeiro torneio ATP, em Washington. Desde então tem estado sob o radar mediático, à espera da sua erupção. Em Delray Beach, Frances Tiafoe, 20 anos feitos em janeiro, viveu a sua primeira grande semana completa no circuito, deixando pelo caminho o seu ídolo Del Potro (segunda vitória da carreira sobre um top 10 mundial), o sul-coreano Hyeon Chung (campeão das NextGen ATP Finals) e o também adolescente canadiano Denis Shapovalov, antes de bater Gojowczyk.

"É uma sensação inacreditável. É algo muito maior do que o ténis. Finalmente estou em posição não só de financiar a minha carreira como de ajudar os meus pais", reagiu um emotivo Tiafoe, que carrega agora também as esperanças americanas.

Mais Notícias

Outros conteúdos GMG