TAD anula três jogos à porta fechada ao V. Guimarães pelo 'caso Marega'

Além de ver anulado o castigo de três jogos à porta fechada, o clube vimaranense foi absolvido de pagar uma multa de 53.500 euros a propósito de um caso que remonta ao minuto 69 do encontro entre Vitória e FC Porto, realizado no Estádio D. Afonso Henriques, em Guimarães, em 16 de fevereiro de 2020, que terminou com um triunfo dos 'dragões' por 2-1.

O Tribunal Arbitral do Desporto (TAD) anulou o castigo de três jogos à porta fechada aplicado ao Vitória de Guimarães por causa dos insultos racistas a Marega, diante do FC Porto, para a I Liga portuguesa de futebol.

O acórdão do TAD declara que "não ficou demonstrado que o Vitória tenha promovido, ou sequer consentido ou tolerado os cânticos racistas em questão, pela simples razão de que não ficou provado, nestes autos, que o Vitória tenha tido um conhecimento efetivo e/ou atempado da ocorrência dos factos em causa, que lhe permitisse encetar uma reação efetiva aos acontecimentos em tempo útil", revelou à agência Lusa fonte ligada ao processo.

Além de ver anulado o castigo de três jogos à porta fechada, o clube vimaranense foi absolvido de pagar uma multa de 53.500 euros a propósito de um caso que remonta ao minuto 69 do encontro entre Vitória e FC Porto, realizado no Estádio D. Afonso Henriques, em Guimarães, em 16 de fevereiro de 2020, que terminou com um triunfo dos 'dragões' por 2-1.

Autor do segundo golo 'azul e branco' nesse jogo, o avançado internacional pelo Mali pediu para ser substituído e abandonou mesmo o relvado na sequência de insultos racistas oriundos das bancadas com adeptos do Vitória.

Na sequência do caso, a Autoridade para a Prevenção e Combate à Violência no Desporto (APCVD) puniu o Vitória com uma "sanção acessória de realização de três espetáculos desportivos à porta fechada, com início do cumprimento da sanção após regresso do público aos espetáculos desportivos" e uma multa de 53 mil euros, num despacho de 20 de outubro de 2020, que mereceu o recurso do emblema minhoto.

Em julho, o TAD já tinha anulado o outro castigo imposto ao Vitória de Guimarães no âmbito do 'caso Marega', que ditava um jogo à porta fechada e uma multa de cinco mil euros devido à "ausência de som das gravações captadas pelo sistema de videovigilância", segundo um despacho de 18 de maio de 2021 do Conselho de Disciplina (CD) da Federação Portuguesa de Futebol (FPF).

Os minhotos têm agora pendentes dois jogos à porta fechada e uma multa de 13 mil euros, por "factos ocorridos" nos jogos com o Sporting de Braga, de 10 de novembro de 2019 (derrota vitoriana por 2-0), e com o Benfica, de 04 de janeiro de 2020 (derrota por 1-0).

O Vitória já cumpriu três jogos à porta fechada no âmbito do 'caso Marega' impostos pelo CD da FPF em 04 de maio de 2021, perante o Famalicão (derrota por 1-0), em 12 de maio, Benfica (derrota por 3-1), em 19 de maio, e Leixões (triunfo por 4-1), em 26 de julho.

Nesses três jogos, os recintos estavam interditos ao público devido à pandemia de covid-19.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG