Suborno de 40 mil euros negado pelo Benfica

SIC exibiu reportagem com jogadores do Marítimo a revelarem ter sido aliciados para perderem o jogo com os encarnados em 2016

O jogo entre o Marítimo e o Benfica, da 33.ª jornada da Liga 2015/16 e que terminou com a vitória das águias por 2-0 numa altura em que o Sporting estava a dois pontos, está a ser investigado pelo Ministério Público por alegada tentativa de aliciamento a jogadores dos madeirenses, noticiou ontem a SIC. O Benfica, em comunicado, desmentiu "total e categoricamente" qualquer envolvimento.

O Jornal da Noite emitiu uma reportagem na qual, através de uma reconstituição que a SIC diz ter sido feita com base em testemunhos de jogadores do Marítimo, um alegado intermediário, que diz falar em nome do Benfica, oferece 40 mil euros a um jogador. O atleta recusou, segundo a reconstituição exibida.

Na mesma reportagem, outro alegado jogador do Marítimo, com nome fictício e voz distorcida, admitiu que "houve coisas nesse jogo que não foram normais", pois achou que "o Marítimo não fez tudo para ganhar". Esse futebolista afirmou ainda que na semana que antecedeu o jogo receberam "um incentivo extra do Sporting" para tirarem pontos ao rival na luta pelo título - naquela altura este tipo de incentivos não era ilegal. "Eram cerca de 400 mil euros, 13 mil euros por jogador. Eu fiquei supercontente, mas vi que alguns colegas reagiram com indiferença e achei estranho", contou. Questionado sobre se notou algum comportamento estranho por parte de dirigentes do Benfica, avançou o nome de Paulo Gonçalves, assessor jurídico da SAD encarnada que é arguido no caso e-toupeira, recusando no entanto mais explicações: "Não posso dizer mais".

A reportagem da SIC revela ainda que nos dias que antecederam o Marítimo-Benfica um jogador foi contactado pelo empresário César Boaventura, no Funchal, que alegadamente lhe terá prometido um contrato vantajoso com o Benfica se perdesse o jogo... mas o dito futebolista teria alegadamente recusado.

César Boaventura admitiu à SIC ter estado no Funchal em 2016, sem precisar a data, mas negou as acusações. "Estive reunido com um jogador do Marítimo que estava em fim de contrato, acordei com ele trabalharmos os dois. Nunca contactei nenhum jogador e esse jogador tem de fazer prova de que lhe ofereci dinheiro", garantiu, disparando noutras direções: "Não trabalho para o Cashball nem para o Apito Dourado. Isso não faz sentido, é uma coisa bárbara que tem de ser desmontada. O fio à meada já o estou a apanhar. O Sporting anda a comprar jogadores para mentir, assim como vieram até mim outras instituições para eu mentir sobre este processo. Falta-lhes provas e precisavam de uma testemunha. Como não conseguiram o meu, pagam a outro."

O DN enviou um e-mail à PGR a questionar se existia alguma investigação em curso a este caso, mas não obteve resposta. Também Carlos Pereira, presidente do Marítimo, esteve incontactável.

Benfica nega acusações

A SAD do Benfica, através de um comunicado, ainda antes da reportagem da SIC, desmentiu "total e categoricamente qualquer envolvimento direto ou indireto num pretenso aliciamento de jogadores ou qualquer outro agente desportivo em qualquer modalidade".

Os encarnados consideram "absolutamente calunioso que alguém tivesse invocado o nome do Benfica". A SAD acrescenta que tomou conhecimento "de uma reportagem que se baseia no depoimento de um alegado jogador, que surge de cara tapada e voz distorcida", e apelou "a que o alegado jogador se dirija às autoridades competentes, único local para se conseguir o cabal esclarecimento da verdade".

O clube da Luz recordou que "em tempo oportuno requereu junto da PGR que se investiguem e que sejam inquiridos todos os responsáveis e entidades ligadas a todos os jogos disputados pelo Benfica nestes últimos cinco anos" e questionou o timing da notícia, que segundo o Benfica "visa tão-só desviar as atenções de outros processos". A SAD prometeu ainda que vai avançar "com os necessários processos judiciais contra todas as entidades e pessoas que de forma leviana atentem contra o seu bom-nome e a sua reputação".

OS CASOS E OS GOLOS EM VÍDEO

Mais Notícias

Outros conteúdos GMG