Direção contra-ataca e substitui Assembleia Geral e Conselho Fiscal

Comunicado emitido esta noite diz que a Assembleia Geral de dia 23, convocada para destituir Bruno de Carvalho, não se realizará

A direção do Sporting anunciou hoje que constituiu uma Comissão Transitória da Mesa da Assembleia Geral (AG), que vai substituir a Mesa demissionária da AG e o respetivo presidente, Jaime Marta Soares, bem como uma Comissão de Fiscalização, que substitui o Conselho Fiscal e Disciplinar demissionário.

Num comunicado emitido esta noite, a direção presidida por Bruno de Carvalho diz também que a Assembleia Geral convocada para dia 23, e que visava destituir a atual direção leonina, não se realizará. Em vez disso é convocada uma "Assembleia Geral Ordinária para o dia 17 de junho, para aprovação do Orçamento da época 2018/19, aprovação de duas alterações estatutárias, análise da situação do clube e prestação de esclarecimentos aos sócios". De acordo com o mesmo comunicado, a 21 de julho deverá realizar-se uma "Assembleia Geral Eleitoral para a Mesa da Assembleia Geral e para o Conselho Fiscal e Disciplinar".

O anúncio surge no mesmo dia em que foram conhecidos os nomes da Comissão de Fiscalização nomeados por Marta Soares para exercer transitoriamente as funções que eram do Conselho Fiscal e Disciplinar, que caiu. O Conselho Diretivo já tinha dito não reconhecer legalidade e legitimidade a esta comissão, afirmando que não permitiria o acesso dos seus membros às instalações do clube.

Agora, a estrutura liderada por Bruno de Carvalho vem dizer que, com as medidas anunciadas esta noite, o "Conselho Diretivo consegue assegurar o normal funcionamento do clube, a defesa dos superiores interesses do Sporting Clube de Portugal, garantindo ainda a continuidade de processos como o empréstimo obrigacionista na SAD, a contratualização da reestruturação financeira, o normal funcionamento da época desportiva que está a decorrer em várias modalidades, bem como a preparação da próxima época desportiva das 55 modalidades, entre elas o futebol".

O comunicado refere que o "universo leonino tem sido, nestas últimas semanas, confrontado com uma série de decisões ilegais, como o anúncio de Assembleias Gerais de destituição e a constituição de Comissões de Fiscalização ilegítimas, que têm sido altamente nocivas para a atividade do clube, a atividade da SAD e para a imagem das mesmas". E acrescenta que as decisões agora anunciadas surgem "na sequência da renúncia em bloco da Mesa da Assembleia Geral e da renúncia da maioria dos membros do Conselho Fiscal e Disciplinar, e por não ter sido iniciado pelos mesmos os procedimentos legais e estatutários a que estão vinculados, e que permitiriam o normal funcionamento do clube".

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG