Reestruturação financeira aprovada por 97% dos votos

Só 12 sócios votaram contra plano apresentado por Bruno de Carvalho, que foi aprovado por 1206 associados. Uma vitória esmagadora para o atual presidente na Assembleia Geral extraordinária.

Enquanto dentro do pavilhão decorreu normalmente a votação dos vários pontos levados a AG, fora do recinto registou-se um incidente, com um indivíduo a ser detido alegadamente por ter ameaçado e partido o computado de um profissional da comunicação social.

É um dos anúncio feitos já nesta Assembleia Geral extraordinária dos leões: a auditoria à gestão do passado vai mesmo avançar, para o período compreendido entre 1995 e 2013, segundo revelou o líder da mesa da AG, Jorge Bacelar Gouveia.

Antes disso, já o presidente Bruno de Carvalho deixara frases fortes nesta AG, como quando comentou o facto de o Sporting ter apenas 34% dos passes dos jogadores do futebol profissional. "Os pais têm percentagens dos jogadores, a mãe, o agente...tudo menos o Sporting. E quero ceder jogadores ou renovar e não consigo, isto é verdade...acabou a palhaçada", denunciou.

O atual presidente deixou mais remoques à anterior presidência de Godinho Lopes. "Pediram-me para tomar posse mais cedo e disseram que havia dinheiro do Ricky [Wolfswinkel] ... mentira, já estava no banco. E agora amanhem-se"

A Assembleia-Geral extraordinária do Sporting começou com cerca de uma hora de atraso, devido à grande afluência de associados para esta reunião "decisiva para o futuro" de clube e SAD, como anunciou o atual presidente Bruno de Carvalho.

Em causa está o plano de reestruturação financeira que prevê, entre outras coisas, a entrada do grupo de capital angolano Holdimo no capital social da SAD, através da conversão de dívida em 20 milhões de ações (permitindo recuperar percentagens dos passes de jogadores como Bruma, que estavam dados como garantia à Holdimo), e a hipoteca do estádio e do pavilhão como garantia num novo empréstimo bancário de 68 milhões de euros.

O presidente Bruno de Carvalho avisou antes desta AG extraordinária que, ou este plano é aprovado, ou as alternativas são um Programa Especial de Revitalização (PER) ou mesmo a insolvência. O atual líder desafiou também os anteriores presidentes Godinho Lopes e Dias da Cunha a marcarem presença para confrontarem ideias "cara a cara", mas, tal como ambos já tinha adiantado ao DN, nenhum dos dois marca presença para já nesta reunião magna no Pavilhão da Ajuda.

Presentes estão já vários outros 'notáveis', como os ex-dirigentes Paulo de Andrade, Daniel Sampaio, Eduardo Barroso, Agostinho Abade ou José Couceiro, candidato derrotado por Bruno de Carvalho nas últimas eleições.

À entrada, o ex-vice presidente da AG, Daniel Sampaio, referiu que "esta AG é muito importante. Temos finalmente uma reestruturação com pés e cabeça. Antes, tivemos só promessas e eu estive em contacto com várias entidades e verifiquei que não havia nada", referiu.

"Bruno de Carvalho prometeu um plano e tem cumprido. Tem feito um esforço gigantesco para dar ao Sporting um novo rumo. Tem que ser um novo começo. Sei bem o caos em que Godinho Lopes deixou o Sporting. A sua gestão estava descredibilizada pelos credores. Eles sabiam que ele não tinha soluções", acrescentou.

Aguarda-se uma AG muito participada, daí o atraso já de uma hora no arranque, que estava previsto para as 14.00.

Mais Notícias

Outros conteúdos GMG