Pedro Souto negoceia com Bettencourt lista de consenso

José Bettencourt está a negociar com Pedro Souto a integração na sua lista de alguns nomes da lista deste candidato, o qual deverá apresentar terça-feira a sua desistência, revelou hoje à Lusa fonte desta candidatura.

Segundo a mesma fonte, Pedro Souto, que antes de avançar fez condicionar essa decisão de Soares Franco ou José Bettencourt ou Ribeiro Telles assumirem uma candidatura, ficou "um pouco magoado" pelo facto de Bettencourt ter "não só dado luz verde para que Pedro Souto avançasse como lhe prometeu o apoio".

No entanto, contactado sábado por José Bettencourt, Pedro Souto aceitou negociar uma fusão das duas listas, decorrendo contactos entre ambos que se prolongam pelo dia de hoje para concretizar esse objectivo os quais, a chegarem a bom termo, significarão a desistência do empresário do ramo automóvel.

A mesma fonte revelou à Lusa que Pedro Souto "está inclinado para não integrar a lista de consenso" ou, a fazê-lo, sê-lo-á "num cargo não executivo".

Entretanto, um dos apoiantes de Pedro Souto, o ex-presidente da Mesa da Assembleia Geral do Sporting, Abrantes Mendes, manifestou à Lusa a sua estranheza pelo facto de "José Bettencourt ter dito a Pedro Souto que não tinha condições para avançar e de lhe ter prometido o seu apoio" para agora "assumir publicamente uma candidatura quando aquela já está no terreno".

"Mais estranharei se José Bettencourt for auferir como presidente do Sporting e da SAD os valores que a imprensa tem divulgado", referiu Abrantes Mendes, para quem a desistência de Souto "é uma decisão coerente ao contrário da de Bettencourt", concluindo que "a sociedade portuguesa está gravemente doente".

JEC

Lusa

Exclusivos

Premium

Contramão na autoestrada

Concessionárias querem mais formação para condutores idosos

Os episódios de condução em sentido contrário nas autoestradas são uma realidade recorrente e preocupante. A maioria envolve pessoas idosas. O tema é sensível. Soluções mais radicais, como uma idade para deixar de conduzir, avaliação médica em centros específicos, não são consensuais. As concessionárias das autoestradas defendem "mais formação" para os condutores acima dos 70 anos.