"O Sporting é tão pequeno que tem de ter sempre os mesmos parceiros ?"

Bruno de Carvalho acusa adversários de não acreditarem na grandeza do clube, que ele caracteriza como " o melhor do mundo".

"Eu já apresentei o modelo de negócio do fundo várias vezes, prometi que ia apresentar os investidores e a partir daí tem sido o desespero total", afirmou o candidato à presidância do Sporting no aeroporto de Lisboa acrescentando que Pedro Baltazar "atirou barro à parede" ao acusá-lo, no sábado, "de lavagem de dinheiro" dos investidores russos no fundo de 50 milhões de euros.

Antes de voar para Moscovo, onde vai encontrar-se com os investidores que depois seguem para Lisboa para serem apresentados esta segunda-feira, Bruno de Carvalho disse estranhar que os outros candidatos não apresentem parceiros, falando de "cepticismo" em relação ao Sporting.

"[Eles] acham que o Sporting é tão pequeno que tem de ter sempre os mesmos parceiros?", indagou.

Carvalho garante que este "é um negócio como outro qualquer" e acrescentou que "o Sporting, doa a quem doer, é um dos maiores clubes do mundo", apontando o exemplo de Luís Figo ou Ronaldo.

"Não há mais nenhum no Mundo que demonstre que a sua formação chega longe", referiu

Além dos investidores que vai apresentar, "Há muitos mais disponíveis, que demonstram vontade de investir no Sporting", com os quais já teve contacto, anunciou o candidato.

Perante noticias sobre alegadas dívidas fiscais na sua empresa, Bruno de Carvalho respondeu que "nada têm a ver com o clube", só "desgastam a campanha" e defendeu-se.

"Parece que o engenheiro Godinho Lopes, o doutor Pedro Baltazar e alguma comunicação social estão muito importados em pagar-me os oito milhões de euros que clientes devem às minhas empresas, mas não vale a pena: a Justiça há-de fazer justiça", salientou.

Bruno de Carvalho considerou ainda Godinho Lopes e Pedro Baltazar de serem "o mesmo candidato, disfarçado e com idades diferentes", que movem um campanha de descredibilização contra ele, com actos de "desespero".

O candidato às eleições de 26 de Maço no Sporting, disse também estar a ver" reforços para a próxima época", negando qualquer vínculo contratual a um técnico nacional, nomeadamente Domingos Paciência.

"Já percebi que os sportinguistas querem um treinador estrangeiro, vamos ter calma. Tenho quase 99,9 por cento de ideia que o treinador será estrangeiro, agora quanto aos outros 0,1 logo vemos", concluiu.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG