Nenhuma cláusula prevê retrocesso no negócio Adrien

FIFA ainda não decidiu se o médio pode jogar de imediato pelo Leicester. A Alvalade não regressa. Upload tardio de documentos gera apreensão

O negócio está feito e não há retrocesso possível. Assim nos garante fonte do Sporting que vai mais longe no que toca à eventual reprovação da inscrição de Adrien por parte da FIFA ao garantir que não existe qualquer cláusula no contrato de transferência que condicione o negócio à aceitação da inscrição do futebolista como quadro do Leicester por parte da entidade que superintende o futebol mundial.

Ou seja, desde 1 de setembro que Adrien é futebolista do Leicester e é o campeão inglês da última época a suportar os ordenados do atleta mesmo que a FIFA determine que Adrien não possa competir nos próximos quatro meses, ou seja, até 31 de dezembro deste ano, por suposto atraso na inscrição.

E o Sporting vai receber o valor acordado com o Leicester, ficando por saber se o pagamento será atrasado caso a FIFA adie a inscrição do futebolista para janeiro,. Em todo o caso o DN sabe que os leões já receberam uma parcela do bolo total - que deve passar por uma verba fixa na ordem dos 24 milhões de euros e mais cinco milhões variáveis dependentes do rendimento de Adrien e do próprio Leicester.

Como é sabido a inscrição do médio foi feita depois da hora limite. O Leicester pediu mais tempo à Federação Inglesa (FA), esta acedeu e registou Adrien Silva como futebolista do Leicester, estando o seu nome entre os inscritos no principal campeonato de Inglaterra.

Em todas as transferências os clubes envolvidos têm que registar numa plataforma, que dá pelo nome de Transfer Matching System (TMS), todos os documentos que comprovam o acordo entre as partes e é neste ponto que pode residir um problema, pois o upload (envio de dados) dos documentos gera uma hora e esta ficou registada depois da hora limite, com a agravante de último documento anexado ser crucial para a operação. . E tanto o Sporting como o Leicester estão cientes desse problema.

Para agudizar o problema, a FIFA decidiu poucas horas após o mercado uma situação relativa à transferência do peruano Zambrano dos russos do Rubin Kazan para os gregos do AEK Atenas. E a inscrição também tinha sido feita depois da hora devido a alegados problemas no TMS. No entanto, a situação de Adrien continua por resolver o que configura ser um assunto de maior complexidade e que merece uma análise mais aprofundada, isto apesar de a FA, que aceitou a inscrição de Adrien, estar confiante numa decisão favorável da FIFA. E, neste contexto, a FA é uma uma poderosa aliada, que deverá contar na ponderação da FIFA.

Nos últimos dias a situação de Adrien tem sido comparada à do espanhol De Gea, que não saiu do Manchester United para o Real Madrid em 2015 porque a inscrição foi feita uns segundos depois da hora. Mas na situação do guardião a FA foi a primeira a reprovar o negócio.

Nas próximas horas, Adrien, que esteve ontem em Portugal e seja qual for o desfecho deve rumar a Inglaterra por estes dias, deve conhecer o veredicto da FIFA, que será determinante, muito embora existam mais duas instâncias para que o Leicester possa recorrer. O primeiro recurso pode ser feito junto do juiz único da Comissão de Estatuto do Jogador da FIFA. O segundo no Tribunal Arbitral do Desporto (TAS). O problema é que não há memória de a FIFA ver uma decisão sua contrariada pela Comissão ou pelo TAS em matéria de transferências.

Na pior das hipóteses, Adrien ficará quatro meses sem jogar. Mas o futebolista, sabe o DN, está perfeitamente consciente dessa possibilidade porque o princípio é que em cada época desportiva um jogador possa ser inscrito por três clubes e jogar só por dois. Como já atuou pelo Sporting se fosse agora emprestado a um emblema turco, por exemplo, teria que ficar nesse clube até final da época.

Resta saber, caso isso suceda, se será chamado por Fernando Santos para os dois últimos encontros da fase de qualificação para o Mundial 2018 com Andorra e Suíça - a 7 e 10 de outubro, respetivamente. Já o Mundial não está em perigo...

Outras Notícias

Outros conteúdos GMG